sábado, 31 de outubro de 2009

Futebol Arte

Golaço de bicicleta do atacante avaiano William, após jogada perfeita do lateral Luís Ricardo. Uuuuurra, Leão!!!! Pobre Atlético Paranaense...

video

Eis nosso novo sócio

Aprovada na Comissão de Relações Exteriores do Senado a entrada da Venezuela no Mercosul. Vejam no quadro abaixo, que usurpei da Veja, o atual estado da economia de nosso vizinho problemático. Clique sobre a imagem para vê-la ampliada.

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Venezuela no Mercosul 3

Amanhã o Senado votará, primeiro na Comissão de Relações Exteriores e depois no Plenário, a aprovação da entrada da Venezuela no Mercosul. Segundo o que noticia a imprensa, a tendência é pela aprovação. Enviei o seguinte e-mail a todos os senadores:

Prezado Senador(a),

Venho por meio deste, expressar meu descontentamento com a possível entrada da Venezuela no nosso bloco econômico. As informações sobre o país que nos chegam quase diariamente não são exatamente encorajadoras: estatizações e desapropriações de empresas privadas nacionais e estrangeiras; cerceamento da liberdade de imprensa através do fechamento de canais de TV e emissoras de rádio críticas ao governo; criminalização dos opositores políticos; manipulação do Poder Judiciário; criação de milícias armadas que funcionam como quadrilhas criminosas; repressão violenta às manifestações estudantis; flerte com nações hostis e tirânicas; apoio aos narcoguerrilheiros colombianos das FARC; e o total desrespeito à democracia e alternância de poder. Os resultados podem ser percebidos na decadência econômica e na falta de abastecimento de produtos básicos. É isso que queremos para nosso país? O Sr. Hugo Chavez certamente não seria um vizinho que eu convidaria para ser meu sócio em qualquer empreitada.
O Brasil e os outros membros do atual Mercosul só teriam a perder deixando um país liderado por um desequilibrado fazer parte do grupo. Estaríamos convidando um lunático para entrar e tomar conta do espaço, desestabilizando e gerando incertezas em relação ao futuro político e econômico da região. Ao invés de pressionarmos em direção de mais democracia, estaríamos oferecendo um prêmio por tudo o vem sendo feito naquele país.
Diz-se muito que seria injusto penalizar a Venezuela por causa de seu presidente. Creio que mais injusto ainda seria penalizar a população brasileira e dos demais países membros. Expus acima os motivos pelos quais julgo que Vossa Excelência deva votar contra o avanço ditatorial no continente, e mais importante que isso, votar a favor dos brasileiros que representa.

Atenciosamente,
Murilo Ribeiro

Veneuela no Mercosul 2

Texto do Blog do Reinaldo Azevedo:

"CEDEÑO, UM PRESO POLÍTICO DE CHÁVEZ. OU: “ALÔ, SENADO BRASILEIRO! É PRECISO TER VERGONHA NA CARA!

Está em curso na América Latina um novo entendimento de democracia que democracia não é. Trata-se do que já chamei aqui de “Populismo Absolutista” ou “Absolutismo das Urnas”. Segundo seus próceres, desde que a população seja consultada, em processos eleitorais eivados de vícios, tudo é possível. Os mandatários receberiam o endosso das urnas não para cumprir as regras constitucionais que os elegeram, mas para fraudá-los à vontade. É assim que Chávez está consolidando uma ditadura na Venezuela. Rafael Correa (Equador) e Evo Morales (Bolívia) seguem o mesmo caminho. Na Nicarágua, o golpe institucional de Daniel Ortega está em curso. Em Honduras, por ora, a turma deu com os burros n’água — ou com o jumento na embaixada…

No dia 29, a Comissão de Relações Exteriores do Senado brasileiro vota um parecer favorável ou contrário à entrada da Venezuela no Mercosul. Esse parecer será submetido depois ao plenário. Uma retórica que apela à mais descarada vigarice política está em curso. O protocolo do Mercosul inclui a exigência democrática, vale dizer, as não-democracias estão fora. O senador Aloizio Mercadante (PT-SP), por exemplo, admite que o modelo venezuelano não é lá muito democrático, mas diz que seria pior isolar o governo Chávez. Corolário: a cláusula democrática abriga democratas por obrigação e ditadores pode generosidade. Mercadante é um monumento!

Por que isso tudo? Esteve no Brasil, na semana passada, o advogado canadense Robert Amsterdam. Ele é defensor do empresário venezuelano Eligio Cedeño, preso desde fevereiro de 2007. A acusação oficial contra Cedeño é de fraude financeira. O que não aparece nos autos é o fato de que ele deu apoio a oposicionistas venezuelanos, incluindo um sindicalista e uma jornalista que tiveram de fugir do país. O caso da fraude é um tanto rocambolesco e sugere que ele caiu numa armadilha. Ainda que tudo fosse verdade, fato é que o tempo de sua prisão preventiva — dois anos (!) — expirou, e ele é mantido ilegalmente no cárcere. E há a ameaça de que ela seja prorrogada por outros dois.

Hugo Chávez destruiu o sistema judicial da Venezuela. A pedra-de-toque de sua intervenção foi a criação, pela Assembléia Constituinte, manipulada por ele, de uma comissão do Supremo Tribunal de Justiça (é o correspondente ao nosso STF) que, ATENÇÃO!, contrata e demite todos os juízes do país. Em 2004, o número de membros da Corte saltou de 20 para 32. Os 12 indicados eram todos… bolivarianos! Nota à margem (retomarei o assunto muitas vezes): Lula quer criar uma comissão especial para avaliar obras que o Tribunal de Contas da União considera irregulares. É a aplicação do método bolivariano para mudar as instituições.

Amsterdam tenta chamar a atenção do Brasil — e do mundo — para o que está em curso na Venezuela. A Justiça comum está sendo manipulada de forma escancarada, vergonhosa, para punir aqueles que Chávez considera seus inimigos. O advogado concedeu a seguinte entrevista ao blog:

Blog - Por que Eligio Cedeño está preso?
Amsterdam -
Eligio Cedeño está preso porque Hugo Chávez acredita que ele constitui uma ameaça política ao seu governo. Cedeño está na prisão desde fevereiro de 2007 sob as alegações de fraude cambial. Ele nunca foi condenado por nenhum crime e, em seu primeiro julgamento, o juiz foi afastado pelo Ministro da Justiça na noite anterior ao veredicto. Acreditava-se que seria favorável a ele. Nenhum explicação foi dada. Nós acreditamos que esse ataque ilegal e a indiferença aos seus direitos legais são motivados por razões políticas, incluindo o patrimônio financeiro de Cedeño.

Blog - Chávez está recorrendo à Justiça criminal para punir seus adversários políticos. É isso?
Amsterdam -
Sim. O processo contra Cedeño é só mais um exemplo, entre tantos outros, do uso que Hugo Chávez faz do sistema judiciário da Venezuela para punir adversários e oponentes políticos. A agressão aos juízes e promotores de Justiça e a coação de testemunhas são exemplos do uso da Justiça como arma política. Um exemplo é o caso da juíza Yuri Lopéz, que, ao admitir uma queixa secundária da parte de Cedeño, teve seu filho de 11 anos ameaçado de seqüestro. As violações de Chávez não estão ocultas. São, ao contrário, bastante visíveis com o objetivo de desencorajar os potenciais atos de seus opositores.

Blog - Uma das características do bolivarianismo é recorrer a mecanismos da democracia para destruir a própria democracia. Como isso se deu no sistema judicial venezuelano?
Amsterdam -
Desde os eventos de 2002 [tentativa de deposição de Chávez], a administração de Chávez fez inúmeras mudanças em seu sistema legal, o que reduziu a independência do mesmo. Por exemplo, Chavéz aumentou o número de ministros da Suprema Corte e preencheu estes novos cargos com pessoas leais a ele. Ao mesmo tempo, as regras de nomeação e demissão de juízes e promotores de Justiça foram flexibilizadas para viabilizar a nova estratégia. A Justiça tornou-se totalmente política.

Blog - Qual é, hoje, a situação dos direitos humanos na Venezuela?
Amsterdam -
É de completa deterioração, e isso se deu em um tempo curto. Houve um grande massacre dos direito humanos, incluindo ataques sem precedentes à oposição, especialmente depois da última eleição, em fevereiro de 2009. Chávez adotou uma lei draconiana para a educação, fechou mais de 100 emissoras de rádio e eliminou os poderes de certos líderes eleitos pela oposição. Talvez o exemplo mais importante do grave retrato dos direitos humanos na Venezuela seja o da procuradora-geral da república, Luiza Ortega Dias, que tomou medidas para criminalizar protestos públicos sob o pretexto de “incitarem a desordem social”. Na medida em que a situação continua se deteriorando, torna-se cada vez mais difícil para governos estrangeiros uma ação para impedir a derrocada da democracia venezuelana.

Blog - O sr. considera que o mundo sabe como funciona exatamente o sistema judicial da Venezuela?
Amsterdam -
Absolutamente, não. E isso não é por acaso. A Venezuela gasta uma enorme quabtidade de dinheiro para limpar sua imagem e reputação — que dependem do apoio de alguns de extremistas e de várias pessoas sem acesso a informações fidedignas.

Blog - O que acontece com um juiz que toma uma decisão que não seja do agrado de Chávez?
Amsterdam -
Dado o caso da juíza Yuri Lopez, que citei, é possível constatar que as medidas podem ser extremas. Outro caso que exemplifica as conseqüências de um juiz que toma decisões que não vão ao encontro do desejo de Chávez é o da juíza Alicia Torres. Ela foi demitida depois de se recusar a acatar o pedido de prisão do presidente da rede de televisão Globovision. Há muitos outros casos como esses. Em face disso, a maioria dos juízes desiste de atuar em certos casos para garantir sua proteção pessoal.

Blog - O sr. tem idéia do número de pessoas hoje acusadas pela Justiça criminal, mas que, na verdade, são perseguidas políticas?
Amsterdam
- O número oficial de prisioneiros políticos na Venezuela é 50, mas posso afirmar que são centenas. No início deste ano, estive em um congresso de estudantes venezuelanos que tinham entre 16 e 21 anos. Eles relataram diversas histórias de colegas que foram presos e que, mesmo depois de libertados, sofreram sanções, como a obrigatoriedade de se apresentar aos tribunais duas ou três vezes por semana - em alguns casos ainda mais.

Blog - Na sua opinião, o sistema judicial venezuelano evidencia que o país é uma ditadura?
Amsterdam
- O regime venezuelano atual é uma forma de junta militar de esquerda. O fato de os militares estarem no controle do País foi mascarado pelo mito da democracia. Se tiver alguma dúvida, sugiro que observe as pessoas que controlam os principais setores da sociedade venezuelana."

terça-feira, 27 de outubro de 2009

Venezuela no Mercosul 1

Reproduzindo texto do Ex-Blog do Cesar Maia:

"O EQUÍVOCO DA VENEZUELA NO MERCOSUL!

1. A pragmática decisão de incluir a Venezuela no Mercosul tem apoio de grandes empresários brasileiros, de olho nas compras e contratações com o dinheiro do petróleo daquele país e de suas necessidades gerais de quase tudo, especialmente depois da desindustrialização dos últimos anos. Mas é um equívoco grave. Não principalmente por razões políticas, mas pela lógica dos "mercados comuns". E pelo desmonte definitivo de outros mercados subregionais, como a Pacto Andino, que já foi muito mais desenvolvido que o Mercosul e vive conjunturalmente uma implosão provocada pela Venezuela.

2. A Venezuela é uma economia regida pela imprevisibilidade das regras para a economia. Os "mercados comuns" exigem regras, que vão de uma convergência progressiva dos parâmetros macroeconômicos, às aduaneiras e cambiais. A inclusão da Venezuela impossibilita que esta convergência, já complexa, avance. E mais ainda: passa a ser a necropsia econômica do Mercosul, a certeza que será impossível qualquer convergência macroeconômica ou aduaneira na frente.

3. E tão grave quanto, afasta definitivamente o Chile (de direito) e o Uruguai (de fato) do Mercosul, estimula acordos bilaterais com EUA e UE fora do âmbito regional e dá um caráter ideológico (Venezuela, Bolívia, Paraguai, Argentina) ao Mercosul, empurrando o Brasil para um fórum que passa a ser viciado sob os olhares externos.

4. Numa conjuntura, que não será curta, de estagnação do comércio mundial e de saída da crise com intenso incremento da produtividade para as economias manterem-se competitivas internacionalmente, a economia brasileira estará sinalizando com a implosão definitiva do Mercosul e com suas preferências estagnantes na região. Um equívoco grave. Uma vitória do chavismo econômico, do intervencionismo, da xenofobia e do afastamento dos mercados desenvolvidos. E um caminho aberto para a China e para o Irã. "

sábado, 24 de outubro de 2009

Final de semana tem sempre tem musiquinha...


video

Kid Abelha, uma das melhores bandas brasileiras dos anos 80. Sinto que a música brasileira vem perdendo muita qualidade, e não consegue repor seus talentos. Claro, talvez eu é que esteja ficando velho. Mas é minha opinião.

Cartão Postal

Abaixo, algumas imagens do Rio de Janeiro, nosso principal cartão postal. Tudo isso em uma semana... Mas o que realmente importa e faz nosso presidente chorar comovido é que a cidade vai sediar as Olimpíadas. Aos cariocas, delega a função de chorar seus mortos.





sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Um bocadinho de Lula


Abaixo, alguns trechos da entrevista que Lula concedeu à Folha e alguns comentários meus. Passei a ser mais otimista em relação ao Brasil. Acho que um país que resiste a 8 anos de Lula, resiste a qualquer coisa.


"Levei mais de 15 dias para que minha boca pudesse proferir reforma agrária tranquila e pacífica."
Isso explica o apoio financeiro e político que mantém à facção criminosa.


"A manutenção do Sarney era questão de segurança institucional."
As instituições brasileiras, e o Senado em particular, seriam muito melhores sem gente como Sarney e Lula.

"Os ex-presidentes precisam ser respeitados, porque foram instituições brasileiras. Não pode banalizar a figura de um ex-presidente."
Por que então não aplica essa regra em relação ao ex-presidente Fernando Henrique Cardoso?

"A negação do socialismo, feita pela Gorbatchov, deu quem? O que tomava vodca lá, o [Bóris] Iéltsin. A relação com a política tem de ser mais séria."
No Brasil aconteceu exatamente a mesma coisa: o PT negou o socialismo de seu passado e na presidência assumiu um presidente beberrão.

"Se Jesus Cristo viesse para cá, e Judas tivesse a votação num partido qualquer, Jesus teria de chamar Judas para fazer coalizão."
Jesus passou por provações muito maiores, pagou o preço por isso e nunca negociou seus princípios. Lula, em seu lugar, teria abandonado o Pai e se aliado a Pôncio Pilatos para escapar da cruz.

"A única condição que impus foi não ter dinheiro público, e eu não quero que fale do governo. Do governo, só quando acabar. "
Lula comentando o filme sobre sua vida. Podemos imaginar alguns motivos para que ele não queira que se fale sobre seu governo.

"A maior alegria que tenho é que os leitores, ouvintes e telespectadores são os únicos censuradores que admito nos meios de comunicação. Portanto, cada um paga pelo que faz."
Lula esquece-se que ele próprio atuou como censurador, como fez quando tentou expulsar do Brasil o jornalista americano Larry Hotter, ou quando tentou implantar o Conselho Federal de Jornalismo, como forma de "orientar" os profissionais da imprensa.

"Não acho que o papel da imprensa é fiscalizar."

Lula prefere um país em que a imprensa não fiscalize, um TCU não interfira nas irregularidade das obras e um TSE que não denuncie o abuso eleitoral financiado com dinheiro público.


terça-feira, 20 de outubro de 2009

Surtado

Li no Diário Catarinense de hoje que Eduardo Pinho Moreira estaria tentando nos subterrâneos uma aproximação do PMDB com o PT em Santa Catarina. Talvez seja uma estratégia para fortalecer seu próprio nome para o ano que vem, mas acredito que seria um tiro no pé. Seria um desrespeito sem tamanho aos catarinenses, que vem sucessivamente demonstrando aversão ao PT. Por aqui venceu Serra em 2002 e Alckmin em 2006, enquanto no plano estadual a população escolheu por duas vezes consecutivas a chapa PMDB/DEM/PSDB, da qual o Sr. Eduardo Pinho Moreira fez parte. Ignorar esse histórico eleitoral por vaidade própria seria preparar o laço e colocar a corda no próprio pescoço. Espero que o restante do partido saiba o que está fazendo e lembre que em nosso estado o Bolsa-Família não compra a vergonha na cara dos eleitores.

Cansados de petralhas semi-analfabetos? Chamem o Thompsom!

Nestes tempos de debates e discussões via internet, é muito comum nos depararmos com petralhas que tratam nossa língua com o mesmo pouco apreço com que seu ídolo maior a trata. Sei que é cansativo ficarmos constantemente corrigindo os seus maus tratos à gramática, além de ser totalmente inútil. Eles nunca aprendem, e eu diria que sentem até um certo orgulho de sua incapacidade de manusear as palavras de forma correta. O que fazer então nessas situações? Desistir? Não! Também somos brasileiros e não desistimos nunca, hehe. A única solução é chamar o Thompsom!

No vídeo abaixo ele nos mostra de forma bastante didática como proceder nestes casos:


video

Esperanças

Pesquisa do Globo revela que entre deputados e senadores do DEM, a maioria prefere Aécio como candidato, mas acham que Serra será o escolhido para a disputa e que este teria mais chances de vencer as eleições. Afirmam que caso Aécio não fique com a vaga de vice, o indicado deveria ser um parlamentar do DEM.

Torço para que se concretize a chapa puro-sangue, por julgar que seria eleitoralmente bastante forte. Caso não seja possível, meus favoritos para o posto são Kátia Abreu ou Demóstenes Torres. Aliás, meu voto certamente seria deles caso se candidatassem ao cargo principal. Quem sabe em 2014...

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Vocês querem bacalhau?



Essa é tão absurda que me abstenho de comentar. Saiu na Folha de São Paulo (para assinantes):

Petista transforma entrega de casa em programa de auditório
FÁBIO GUIBU

DA AGÊNCIA FOLHA, EM CABROBÓ (PE)

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva transformou ontem a solenidade de entrega de uma vila rural, em Cabrobó (PE), em uma espécie de programa de auditório -com direito a sorteio de casas, broncas ao microfone e torcida da plateia.
Durante uma hora e cinco minutos, o presidente comandou o show ao microfone, abraçando e entrevistando sorteados e controlando ministros e governadores, coadjuvantes de palco no improvisado sorteio promovido por ele para distribuir as 55 casas da vila a 55 lavradores que tiveram suas terras cortadas pelas obras da transposição das águas do rio São Francisco.
A programação previa inicialmente o sorteio de apenas três casas. Mas o presidente decidiu cancelar os discursos logo no início da solenidade e continuar a festa.
Com um microfone nas mãos, levantou-se da cadeira e perguntou para as cerca de 500 pessoas da plateia se elas aprovavam a sua ideia. "Ééééé", respondeu o público, formado em sua maioria por famílias de trabalhadores rurais e operários da obra de transposição.
Aval dado, o presidente foi à frente do palco. Um a um, chamou as autoridades presentes para sortear as casas, retirando de um aquário nomes escritos em pedaços de papel.
Atenderam a convocação os ministros Geddel Vieira Lima (Integração Nacional) e Franklin Martins (Comunicação), os governadores de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), e do Ceará, Cid Gomes (PSB), além do deputado federal e pré-candidado do PSB à Presidência, Ciro Gomes. A ministra Dilma Rousseff (Casa Civil) havia viajado antes para Fortaleza.
Esgotadas as autoridades, Lula -que sorteou as casas 1, 7, 13 e 55- chamou até o cinegrafista oficial que registrava as cenas no palco para participar da festa. Depois, sem opções, escolheu um nome fixo para a função: "Dudu, fica em pé e vai tirando", disse ele para o governador de Pernambuco.
A cada nome anunciado o público gritava: "Ele merece". E o presidente pedia: "Suba aqui meu filho". Como as grades que isolavam o público atrapalhavam o acesso, Lula ordenou a retirada de parte do bloqueio.
Descontraídos, os sorteados abraçavam ministros e governadores no palco. Lula chegou a ter seus pés tirados do chão num abraço dado por um dos beneficiados. Ciro Gomes fez o mesmo com outro lavrador.
Por duas vezes, o presidente entrevistou trabalhadores. "Vai criar o que, um cabrinha leiteira, uma galinha, um capote [galinha d'angola]? Muito bem", afirmou. Animado, o público devolvia: "Lula, Lula, Lula".

domingo, 18 de outubro de 2009

Truco

Tenho o receio que mais uma vez a oposição jogue no lixo a oportunidade vencer as eleições e libertar o Brasil dessa corja que se adonou do país. O arsenal tucano inclui o candidato mais bem colocado nas pesquisas, governador do estado mais populoso da federação, São Paulo, e de quebra poderiam ter como vice o governador de Minas Gerais, dono de índices elevadíssimos de aprovação no segundo maior colégio eleitoral. Conspira a seu favor também o fato de seu parceiro preferencial, o DEM, já ter comunicado que abre mão da vaga de vice em favor da chapa Serra/Aécio. Bom demais para ser verdade... Seria o momento ideal para formalizarem a chapa, ganharem maior visibilidade nacional, e em função disso crescer nas pesquisas e atrair para sua órbita o apoio de outros partidos. Ao menos isso poderia criar alguma dificuldade para a formalização da entrada do PMDB na chapa governista. Com isso, retirariam do adversário minutos preciosos de tempo na TV e palanques importantes nos estados.


O PMDB já demonstrou que pode balançar em alguns estados, como é o caso de Santa Catarina, onde o governador Luíz Henrique já definiu que apoiará Serra caso este se candidate, e dará continuidade à coligação estadual PMDB/DEM/PSDB. O Deam Team catarinense seria uma chapa formada pelos 3 partidos: o tucano José Serra disputando a presidência, o peemedebista Luís Henrique brigando por uma das vagas no Senado, e o democrata Raimundo Colombo abrindo caminho para o governo do estado. Chapa imbatível e óbvia, ao meu ver.

Acredito que a briga ano que vem será duríssima, e que a candidata de Lula ainda tem muito o que crescer. Virão com uma propaganda fortíssima, à despeito da realidade. Terão muito espaço na TV e contarão com o principal cabo eleitoral do país. Pode-se afirmar que popularidade não se transfere, etc e tal, como aconteceu com a a candidatura de Marta Suplicy em São Paulo. Agarrada 24 horas por dia com Lula, levou uma surra nas eleições. Mas e o Kassab? Não foi eleito agarrado à popularidade do Serra? Portanto deveriam ter mais cautela e ir tratando de reforçar as muralhas para o combate anunciado. A turma do lado de lá não está brincando em serviço, e conseguiram ocupar todo o noticiário com suas promessas e profecias: transposição, olimpíadas, copa do mundo, um milhão de casas, etc. Mesmo que nada disso tenha de fato deixado o mundo da ficção, o apelo popular é forte e pode sim influenciar um eleitorado desatento e mal informado. Sem contar o filme sobre o Lula, que pretende fazer chorar muitos marmanjões acéfalos. Alguns capítulos bem interessantes da vida de Lula obviamente ficarão de fora das telas, mas ninguém se dará conta disso no escurinho do cinema. Resumindo: sem cartas na mão, o governo grita: Truco!


Voltando ao início do texto, que a oposição deixe de se comportar como como crianças mimadas e comprem a briga. Muitos brasileiros já compraram, mas não possuem quem os represente na batalha. Não é o momento de baixar as cartas. É hora de gritar: Seis, papudo!

Me copiaram!!!

Quinta feira passada postei um texto no blog intitulado Transposição de votos. Hoje, lendo o Blog do Josias de Souza, me deparo com isso.

Quem diria, hein? Meu bloguinho pautando o jornalismo brasileiro...

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Transposição de votos

O assunto dessa semana é a caravana de Lula às obras da transposição do Rio São Francisco. Leva à tiracolo seus dois pré-candidatos à sucessão e uma equipe de mais de 60 profissionais da TV pública do Governo Federal. Para se ter uma idéia, para cobrir toda a Olimpíada de Pequim, a Rede Globo levou 120 profissionais para a China. Move-se este imenso aparato na tentativa de alavancar principalmente a popularidade da ministra Dilma Roussef, a favorita de Lula ao título de campeã em 2010. Ontem ela foi fotografada até pescando às margens do rio, ao lado de Lula e de um humilde pescador pego desprevinido pelo staff presidencial. Juro pra vocês que não é história de pescador. Trata-se da transposição de votos pretendida por Lula.

Ano que vem, bombardearão os telespectadores com essas imagens, assim como trechos selecionados dos discursos e solenidades, que na verdade tratam-se de comícios. Mostrarão Dilma dentro de seu alojamento nas obras, conversando com os peões e fiscalizando o andamento do PAC. Alguém duvida disso? Estão em plena campanha eleitoral, com a diferença de que ao invés de verbas do PT, tudo é produzido com o dinheiro de 190 milhões de otários, que assistirão maravilhados na TV a empulhação a que serão submetidos.

Que falta nos faz um Ministério Público apartidário, um jornalismo verdadeiramente crítico e uma oposição menos acanhada. Todos se acovardaram, e permitem que Lula voe sempre livre, leve e solto, ao arrepio da lei. Isso explica em parte a inexplicável popularidade dele nas pesquisas.

terça-feira, 13 de outubro de 2009

Entretenimento ou propaganda stalinista?

Entrará em cartaz ano que vem nas salas de cinema o filme "Lula, o filho do Brasil". Trata-se da produção mais cara do cinema brasileiro. Até aí, nada demais. Normal, afinal, trata-se de uma de nossas mais ilustres figuras políticas, né?

Normal uma pinóia! Tudo indica que foi planejado para ser lançado em pleno período eleitoral, e com o descarado objetivo de enaltecer Lula, que estará participando ativamente da campanha de sua candidata. Irão alegar que não foi produzido nem financiado com verbas públicas, o que os eximiria da culpa. Perfeito, se não soubéssemos como funciona a troca de favores no Capitalismo de Estado brasileiro.

Tem-se dito que isso remete à propaganda nazista de Goebbels. Discordo. Acho que lembra mais a propaganda da época stalinista da URSS, quando rodavam filmes que transformavam Stalin, um notório genocida, em um verdadeiro herói, aclamado por multidões. Vejam abaixo um trecho de um desses filmes soviéticos, onde um ator interpreta a chegada de Stalin a Berlim após a conquista da cidade pelo Exército Vermelho. Detalhe: na vida real isso nunca chegou a acontecer.


video

Não deixem de ler também o artigo da deputada Solange Amaral , onde ela esclarece melhor o que está em curso. Essa gente não tem limites em sua busca pela perpetuação no poder.

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Carinhoso

Marisa Monte e Paulinho da Viola interpretando a música do Pixinguinha. Pelo menos esse patrimônio ninguém nos tira, hehe.

video

domingo, 11 de outubro de 2009

Lula, o bom cristão

A última: Lula pretende doar aeronaves da nossa Força Aérea para a companheirada bolivariana. Definitivamente ele não compreende que o fato de ocupar a presidência não faz dele proprietário dos bens do país. Com a mesma sem-cerimônia com que sai por aí perdoando dívidas de outros países, agora resolveu dar presentinhos militares para Evo Morales e Rafael Correa. É bom lembrar quem são esses sujeitos. Evo Morales, presidente da Bolívia e capacho de Hugo Chavez, é aquele que expropriou nossas refinarias da Petrobrás. Rafael Correa, presidente do Equador que recebeu doações das FARC para sua campanha, e que em troca lhes oferece abrigo dentro de seu país, é aquele que expulsou a construtora brasileira Odebretch, sequestrou seus bens e proibiu seus diretores de deixar o território equatoriano. Certamente está na casa dos bilhões de reais o prejuízo que tivemos nesse dois casos. Qual a reação de nosso presidente? Engolir tudo e ainda oferecer aviões e helicópteros como mimos a nossos algozes. Após o Brasil ser esbofeteado, Lula lhes oferece agora outra face: a nossa.

Leia a notícia aqui.

sábado, 10 de outubro de 2009

É confisco, sim!

Quer dizer então que o governo está sem caixa e não poderá pagar a restituição do Imposto de Renda este ano? Lembram do Plano Collor, quando confiscaram a poupança dos brasileiros por um determinado período de tempo? Os motivos são diferentes, mas a sem-vergonhice e o desrespeito ao cidadão são os mesmos. O mais ridículo é que essa notícia chega num momento em que são alardeadas mundo afora o suposto grandiosismo de nossa economia. Anunciam a compra de caças supersônicos, planejam a realização da Copa do Mundo e das Olimpíadas nos próximos anos, emprestam 20 bilhões de reais ao FMI, perdoam dívidas de outros países, exigem a entrada do país como membro permanente do Conselho de Segurança da ONU, e por aí vai. Quem vê de fora tem a impressão que somos algo parecido com uma Suécia gigantesca. E nós, como ficamos nessa história toda? Nos consultaram antes de nos arrancarem do bolso esse dinheiro?


Nos resta continuar trabalhando cinco meses ao ano somente para o pagamento de impostos, para que continuem farreando, enquanto continuamos estagnados na 75ª posição de desenvolvimento humano e entre as menores expectativas de vida da América Latina, notícias que chegaram essa semana para botar água no chopp do Lula.

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Conivência e Cinismo

Segue abaixo um pinçado de declarações que encontrei hoje na internet. Tentam inocentar os delinquentes, e incriminar as vítimas. Debocham de nossa inteligência com a maior naturalidade. Nos roubaram o Brasil.

"A ação do MST do dia 28, que ao ser divulgada pela primeira vez não provocara muita reação, poderia dar a munição necessária para novamente se propor uma CPI contra o MST. E numa ação articulada entre os interesses da grande mídia, da bancada ruralista do Congresso e dos defensores do agronegócio, se lançaram novamente as imagens da ocupação da fazenda da Cutrale"
Comissão Pastoral da Terra

"Nós deixamos que os funcionários da Cutrale retirassem seus objetos e móveis após invadirmos e cuidamos do patrimônio deles e da empresa"
"Se algum trator não estiver funcionando, foram eles [Cutrale] que quebraram. Não ocorreram furtos. É a palavra deles contra a nossa, pois estão querendo criminalizar o movimento"
"Daqui a pouco vão querer prender algum integrante do MST por causa desta invasão"
Paulo Albuquerque, diretor estadual do MST e um dos coordenadores da invasão à fazenda da Cutrale em Iaras (SP)

"Não há ameaça. A questão é que é um movimento e qualquer movimento social que tem seu viés de razão e às vezes as ações não correspondem aquilo que deveria ser a observância estrita da lei, da ordem. É isso que acontece"
Jorge Félix, Ministro da Segurança Institucional

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Terrorismo do MST e uma lição vinda de Israel

Por qualquer ângulo que se queira interpretar a ação do MST ontem na fazenda da Cutrale, o único sentimento que aquela cena desperta é a indignação. Além dos 7.000 pés de laranja derrubados, os imundos ainda quebraram 28 tratores, depredaram armários e residências dos funcionários da empresa. É o equivalente a uma cusparada na cara dos brasileiros que trabalham e se submetem à lei.

Numa situação como essa, não seria o caso de uma ação policial dura e instantânea para reprimir esse bando de vagabundos e os danos a terceiros que invariavelmente causam? Não cabe ao Estado o monopólio da força? Não seria o caso também de uma interrupção imediata dos repasses de verbas federais para esse movimento dito social? A imprensa noticiou hoje que nos últimos 6 anos o governo Lula já repassou à eles 115 milhões de reais, para que eles possam melhor continuar vandalizando nossa constituição, depredando patrimônio público e privado, destruindo laboratórios, matando rebanhos e assassinando pessoas. Dias atrás foi rejeitada por congressistas governistas a criação de uma CPI para investigar o repasse de verbas públicas à ONGs ligadas ao MST. Os intocáveis da baderna não podem ser reprimidos nem investigados pelas instituições competentes. Estão acima de nós. Se passam por vítimas e criminalizam aqueles que fazem o Brasil andar pra frente.


Não vou postar o vídeo da derrubada dos pés de laranja e da destruição da fazenda. Todos já viram e as cenas são repugnantes. Em seu lugar, vou postar um vídeo que ilustra a forma pela qual a polícia israelense combate o terror, mesmo que este esteja em cima de um trator. Eles sabem que estão sempre sob ameaça. E reagem para defender seu povo. Nós continuamos adiando esse momento.

video

Obesidade

57,1 mil novos servidores até o momento. Isso é parte do legado que Lula nos deixará quando finalmente liberar a cadeira da presidência. Em um mundo onde a competitividade é cada vez mais determinante para o sucesso das nações, é uma péssima notícia. Mais 57 mil contas para pagarmos. E dá-lhe imposto.
Mais médicos, mais professores, mais isso e aquilo é o que o Governo irá propagandear. O mérito eles embolsam. A conta, nós desembolsamos.
Leiam a notícia no Blog do Josias de Souza.

domingo, 4 de outubro de 2009

Lá na Mama


Cuitelinho

É... Hoje não quero saber de coisas complicadas. Dia bom para ficar de molho, nesse sossego que a voz do Renato Teixeira nos dá. Acho que a gente merece um pouquinho disso...

video

Domingão...

Para dar uma relaxada, que ninguém é de ferro...

video

Vou novamente esta semana de Almir Sater, duela a quien duela.

Israel, agora é contigo

Pelo visto, se o exército israelense não se mexer urgentemente, estará colocando toda a população de seu país em sérios riscos. Ahmajinejad, o lunático iraniano, já deu todas as dicas de que não pretende interromper sua busca por armas nucleares. Para alguém que já afirmou que pretende varrer Israel do mapa, isso não deixa de ser preocupante.

Israel tem plenas condições de sustentar sozinho uma batalha com o Irã hoje, e em larga posição de vantagem. Mas até quando? A hora é esta...

Não, eu não me julgo em melhores condições de julgar este assunto que o Mossad. Mas não posso deixar de expressar certa aflição com o corpo mole que o mundo ocidental está fazendo, em especial os Estados Unidos. Se a chamada civilização judaico-cristã prefere oferecer àqueles que querem destruí-la todas as vantagens nesse jogo, inclusive a vantagem da trapaça, problema dela. Ou nosso, melhor dizendo. Mas que saibam que não terão a mesma consideração vinda do outro lado, quando este estiver preparado.

Na Folha Online:

Relatório da ONU diz que Irã tem informação para fazer bomba nuclear

Um relatório realizado por membros da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), da ONU, aponta que o Irã tem "informação suficiente para desenhar e produzir" uma bomba atômica, informa reportagem do jornal americano "The News York Times".

As conclusões do relatório, afirma o "NYT", colocam o Irã como uma ameaça maior do que o especulado pela comunidade internacional, incluindo os Estados Unidos. O relatório destaca, contudo, que as conclusões são provisórios e precisam de confirmação de evidências de agências de inteligência.

O relatório chega pouco depois da revelação de que o Irã construiu uma nova usina de enriquecimento de urânio e do anúncio de testes de mísseis de longo alcance pela República Islâmica. O anúncio da planta foi feito quando carta do Irã à AIEA vazou na imprensa. O único dado técnico divulgado é que o nível de enriquecimento de urânio seria de até 5%, condição que daria origem a um combustível pouco purificado, suficiente apenas para alimentar reatores nucleares de geração de eletricidade.

O Irã já possui uma grande usina de enriquecimento de urânio na localidade de Natanz, a 250 km de Teerã, na região central do país. A existência da usina foi revelada em 2002.

Há dois anos, as agências de inteligência americanas publicaram, um relatório detalhado no qual concluíam que Teerã abandonou os esforços de construção de uma arma nuclear em 2003.

Contudo, no começo de setembro, Glyn Davies, o principal enviado americano à AIEA, disse que o último relatório da agência nuclear mostra que Teerã já possui ou está muito perto de possuir suficiente urânio pouco enriquecido para produzir uma arma nuclear --caso seja tomada a decisão de enriquecê-lo ao nível necessário para a produção de armas.

O novo relatório da agência apresenta evidência de que o conhecimento iraniano é fruto não apenas de informações coletadas de especialistas em todo o mundo, como também de extensa pesquisa e testes. O documento não revela, contudo, quão longe as experiências chegaram na produção de uma bomba.

O relatório, intitulado "Possíveis Dimensões do Programa Nuclear do Irã", foi produzido, segundo o jornal, por especialistas de dentro e de fora da agência da ONU.

O texto diz que o Irã tem informação suficiente para desenhar e produzir um aparelho de impulsão nuclear com urânio enriquecido. Este tipo de arma é considerada um modelo avançado perto das bombas atômicas que os Estados Unidos lançaram em Hiroshima, durante a Segunda Guerra (1939-1945).

A tecnologia iraniana, afirma o "NYT", usa uma onda de explosão de uma esfera de explosivos convencionais para comprimir uma bola de combustível bomba em uma massa supercrítica, a partir da reação em cadeia atômica e progredindo para a explosão maior.

Os trechos da análise divulgados ao jornal também sugerem que os iranianos têm feito uma grande variedade de pesquisas e testes para aperfeiçoar as armas nucleares, como fazer detonadores de alta-tensão, disparando explosivos de teste e desenhando ogivas.

O Irã rejeita a acusação e diz que qualquer documento que prove o contrário é fraudulento.

Representantes de seis potências --Alemanha, EUA, Rússia, China, França e Reino Unido-- se reuniram com representantes de Teerã nesta quinta-feira (1º) em um esforço para discutir o controverso programa nuclear iraniano. A reunião, contudo, acabou com acordo apenas em se fazer um novo encontro, até o fim do mês.

O Ocidente, liderado pelos EUA, afirma que o programa nuclear iraniano é uma ameaça e serve para produção de armas --acusação que Teerã nega. Analistas dizem que Israel não descarta a opção militar contra as instalações iranianas para impedir um ataque.

sábado, 3 de outubro de 2009

Inferno recebe mais 40 moradores

A Colômbia nos deu mais uma aula de como devem ser tratados os terroristas. Qual será dessa vez a desculpa para a choradeira bolivariana, haja vista que a operação foi em território colombiano? Agora que temos um brasileiro sob o poder dos narco-guerrilheiros, nosso governo continuará covardemente evitando classificá-los como grupo terrorista? Boa, Uribe. Como diria o Capitão Nascimento, senta o dedo nessa porra!

No G1:

Bogotá, 1 out (EFE).- Pelo menos 40 guerrilheiros teriam morrido em um grande operação militar na Colômbia, em que a Força Aérea bombardeou vários acampamentos das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) nos limites dos departamentos do Tolima e Vale (sul), informou hoje a Rádio Caracol.

Embora não há confirmação oficial destes dados, o presidente colombiano, Álvaro Uribe, reconheceu que se trata "de uma operação de grande importância", durante um ato público em Ibagué, capital de Tolima.

Uribe também disse que confia em que esta operação "ajude a trazer tranquilidade", sem descrever as características da missão militar nem confirmar os dados fornecidos pela emissora colombiana.

De acordo a rádio, as autoridades realizando uma gigantesca operação contra o comando conjunto central das Farc.

Um dos alvos da aviação teria sido um acampamento rebelde situado na zona rural de Planadas, Tolima, e em que estaria Arquímedes Muñoz Villamil, conhecido como "Jerónimo Galeano", um dos líderes da guerrilha.

A emissora assegurou que nas primeiras inspeções após os bombardeios se encontraram seis cadáveres pertencentes a guerrilheiros, embora assinalasse que o número de rebeldes mortos se elevaria a 40.

Diarréia mental

Embaixada vive surto de indisposição

Fabiano Maisonnave, enviado da Folha à Tegucigalpa

Um frango estragado distribuído aos acompanhantes de Manuel Zelaya provocou uma disputada corrida na madrugada de ontem aos poucos banheiros existentes na Embaixada do Brasil em Tegucigalpa. Trinta pessoas tiveram de ser medicadas, segundo o médico de plantão, Marco Girón.
"Suspeitamos que tenham introduzido um agente biológico ou uma bactéria na casa", disse Girón, que foi obrigado a improvisar com os medicamentos trazidos pela ONU e a reduzir as doses. "Os remédios são poucos para o caso de um surto."
O prédio, de cerca de 400 m2 e com 68 pessoas "hospedadas", tem seis banheiros, mas dois são exclusivos de Zelaya e de sua mulher, Xiomara. Com a emergência, aumentou o número de pessoas que recorreram a um dos muros do fundo da casa, aumentando o cheiro de urina no local.
Um dos problemas é que a comida, entregue duas vezes ao dia, às vezes demora a chegar, devido à inspeção minuciosa feita pelos militares que vigiam o acesso à embaixada.
Com exceção do surto, a embaixada teve um dia tranquilo. Zelaya passou quase todo o dia sem aparecer e estreou o seu terceiro quarto -ele vem mudando de lugar quase todos os dias por medida de segurança. Ontem, dormiu na biblioteca.

Brasileiro sequestrado pelas FARC

Vejamos agora a reação do nosso geverno, que diz que faz e acontece mundo afora. Vejamos a dureza com que responderão a uma violência dessa ordem contra um cidadão brasileiro. Farão o mesmo estardalhaço que fizeram em Honduras? Ou ficarão em silêncio, dado o alinhamento ideológico que mantém com as FARC e com o próprio governo venezuelano?

Vamos lá, Celso Amorim! Avante, Marco Aurélio Garcia! Mete bronca, Lula! Mostrem sua hombridade! Mostrem que são tudo isso que dizem ser!

Por Diego Escosteguy, da revista Veja:
“Senhora, nós somos das Farc e estamos com seu marido”, anunciou tranquilamente a voz masculina do outro lado da linha, num espanhol de sotaque colombiano. “Ele será executado se a senhora não seguir nossas instruções.” Marinêz da Silva Pinho ouviu as ordens em silêncio - e desmaiou. Aquela voz colombiana confirmara seus mais terríveis medos: seu marido, o empresário brasileiro Vicente Aguiar Vieira (foto), não havia se perdido no distrito de Ciudad Bolívar, na Venezuela, onde estava quando deu notícias pela última vez, dois dias antes dessa ligação. Era um sequestro. Naquele mesmo dia, Marinêz recebeu uma carta manuscrita e assinada pelo marido, na qual ele confirmava estar em poder das Farc e dizia se encontrar em “montanhas da Colômbia”. Em três páginas, possivelmente ditadas pelos sequestradores, Vicente orientava a esposa a vender os bens da família para pagar o resgate, estipulado em 2,5 milhões de bolívares, a moeda venezuelana (equivalentes a cerca de 800 000 reais). Marinêz só conhecia as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia pelo noticiário televisivo, mas fez o que lhe pediram. Não alertou as autoridades, levantou parte do dinheiro, deu prosseguimento às negociações e mobilizou parentes para fazer a troca nas selvas colombianas. Até o momento, os esforços foram em vão. Seu marido está há dois meses em cativeiro - e pode, a depender do avanço das investigações policiais, tornar-se o primeiro brasileiro oficialmente vítima das Farc fora da Colômbia.(…)

O desespero com o sumiço dos sequestradores levou Marinêz a procurar as autoridades brasileiras. Nas últimas semanas, ela iniciou uma odisseia pela burocracia de Brasília. Marinêz bateu à porta da Polícia Federal, da Interpol, do Itamaraty, dos congressistas de Roraima… Persistente, ela conseguiu falar até com o presidente Lula, numa cerimônia política em Boa Vista, no mês passado. “Vou me empenhar para resolver isso. Se for preciso, conversarei com o Hugo Chávez”, prometeu o presidente, repassando o caso para o ministro da Justiça, Tarso Genro, que também estava no evento. Não se sabe se Lula pressionou seu colega venezuelano, sempre tão afável com os terroristas das Farc. Os diplomatas do Itamaraty, no entanto, a quem cabe acompanhar os desdobramentos das investigações na Venezuela, estão apreensivos com o caso. O cônsul do Brasil em Ciudad Guayana, que tem jurisdição sobre a área onde aconteceu o crime, encontrou-se com o chefe da brigada antissequestro da polícia venezuelana, que comanda as buscas pelo brasileiro. Saiu de lá sem respostas. A esposa do empresário não se conforma com a atuação do governo brasileiro: “Todos dizem que vão ligar, fazer e acontecer, mas essas ligações nunca chegam. Ninguém parece se importar. Só porque moramos no fim do mundo somos menos brasileiros? Eu preciso de ajuda, mas ninguém parece disposto a ajudar”.

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Venezuela no Mercosul

À respeito da entrada ou não da Venezuela no Mercosul, não nos custa nada cobrarmos de nossos representantes que NOS REPRESENTEM! Seguem abaixo os e-mails de nossos senadores para quem quiser mandar um recadinho para eles.

adelmir.santana@senador.gov.br; almeida.lima@senador.gov.br; mercadante@senador.gov.br; alvarodias@senador.gov.br; acmjr@senado.gov.br; antval@senador.gov.br; arthur.virgilio@senador.gov.br; augusto.botelho@senador.gov.br; cesarborges@senador.gov.br; cicero.lucena@senador.gov.br; cristovam@senador.gov.br; delcidio.amaral@senador.gov.br; demostenes.torres@senador.gov.br; edison.lobao@senador.gov.br; eduardo.azeredo@senador.gov.br; eduardo.suplicy@senador.gov.br; efraim.morais@senador.gov.br; eliseuresende@senador.gov.br; ecafeteira@senador.gov.br; webmaster.secs@senado.gov.br; expedito.junior@senador.gov.br; fatima.cleide@senadora.gov.br; flavioarns@senador.gov.br; flexaribeiro@senador.gov.br; francisco.dornelles@senador.gov.br; garibaldi.alves@senador.gov.br; geraldo.mesquita@senador.gov.br; gecamata@senador.gov.br; gilvamborges@senador.gov.br; webmaster.secs@senado.gov.br; heraclito.fortes@senador.gov.br; ideli.salvatti@senadora.gov.br; inacioarruda@senador.gov.br; jarbas.vasconcelos@senador.gov.br; jayme.campos@senador.gov.br; jefperes@senador.gov.br; joaodurval@senador.gov.br; joaopedro@senador.gov.br; joaoribeiro@senador.gov.br; jtenorio@senador.gov.br; j.v.claudino@senador.gov.br; jonaspinheiro@senador.gov.br; jose.agripino@senador.gov.br; jose.maranhao@senador.gov.br; josenery@senador.gov.br; sarney@senador.gov.br; katia.abreu@senadora.gov.br; leomar@senador.gov.br; lucia.vania@senadora.gov.br; magnomalta@senador.gov.br; maosanta@senador.gov.br; crivella@senador.gov.br; marco.maciel@senador.gov.br; marconi.perillo@senador.gov.br; maria.carmo@senadora.gov.br; mario.couto@senador.gov.br; marisa.serrano@senadora.gov.br; mozarildo@senador.gov.br; neutodeconto@senador.gov.br; osmardias@senador.gov.br; papaleo@senador.gov.br; patricia@senadora.gov.br; paulo.duque@senador.gov.br; paulopaim@senador.gov.br; simon@senador.gov.br; raimundocolombo@senador.gov.br; renan.calheiros@senador.gov.br; renatoc@senador.gov.br; romero.juca@senador.gov.br; romeu.tuma@senador.gov.br; rosalba.ciarlini@senadora.gov.br; roseana.sarney@senadora.gov.br; sergio.guerra@senador.gov.br; sergio.zambiasi@senador.gov.br; serys@senadora.gov.br; siba@senador.gov.br; tasso.jereissati@senador.gov.br; tiao.viana@senador.gov.br; valdir.raupp@senador.gov.br; valterpereira@senador.gov.br; wellington.salgado@senador.gov.br

PMDB catarinense opta por Serra

Como era de se esperar, em Santa Catarina o PMDB optou pela candidatura de José Serra, ainda que ele próprio não confirme sua candidatura. Levam em conta o histórico das duas últimas eleições presidenciais no estado, onde tanto Serra em 2002 quanto Alckmin em 2006 prevaleceram sobre o candidato Lula. A coligação que elegeu o governador Luíz Henrique, formada por PMDB/PSDB/DEM contará com um palanque forte o suficiente para afugentar qualquer pretensão petista em Santa Catarina. Afinal, de tragédias nos bastam as enchentes.

Leia mais sobre isso no Blog do Josias de Souza

Pode entrar que a casa é sua

Na Veja Online:

"WASHINGTON, EUA (AFP) - A rede extremista Al-Qaeda registrou reveses sob a pressão dos Estados Unidos, mas ameaça transformar o Iêmen em uma perigosa base para o treinamento de seus membros e a preparação de atentados, advertiu Michael Leiter, diretor do Centro Nacional Contraterrorista, no Congresso americano.

A Al-Qaeda ficou debilitada desde os atentados de 11 de setembro de 2001 nos Estados Unidos e seu refúgio no norte do Paquistão está cada vez mais reduzido e menos seguro, afirmou o especialista em luta antiterrorismo.

Mas as divisões regionais da rede representam uma ameaça crescente, advertiu, citando particularmente o Iêmen. As facções saudita e iemenita da Al-Qaeda anunciaram em janeiro que se fundiram sob o nome de "Al-Qaeda na península árabe".

"O Iêmen se converteu numa base regional potencial de operações a partir da qual a Al-Qaeda pode planejar atentados, treinar recrutas e facilitar os movimentos de seus agentes", afirmou ainda."

Alguém saberia me informar se temos embaixada no Iêmen?

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Um bom desafio

Dia 29 de outubro, a Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE) decidirá sobre o ingresso da Venezuela no Mercosul. Apesar dos infinitos motivos fornecidos por Hugo Chavez para ser barrado, não são poucos os tapados que gostariam de tê-lo como parceiro de bloco. Por tudo o que já fez em seu próprio país, e pelo que tem aprontado nos demais países da região, inclusive no Brasil, é mais do que necessário darmos um chute na bunda desse imprestável. É hora de pressionarmos nossos senadores e mostrar a eles que estamos atentos. E lembrá-los que ano que vem haverá eleições...
Clique aqui para ler essa notícia na Agência Senado.
Clique aqui para saber quais são os senadores membros da Comissão

Linha mestra da nossa política externa

"Daqui a um ano e três meses, nas melhor das hipóteses, se o presidente Lula não me mandar embora antes, eu vou deixar de ser ministro. Então, eu quero ter um palanquezinho, uma plateiazinha, digamos assim, para eu poder me manifestar."

Celso Amorim, em entrevista à Folha de São Paulo, explicando sua filiação ao PT. Essa busca por um panquezinho, por uma plateiazinha, é o que aparentemente tem guiado as atitudes do nosso governo nas relações internacionais.