segunda-feira, 28 de junho de 2010

Copa 4: Seleção brasileira e crise existencial


Assisti a vitória do Brasil sobre o Chile, como todos vocês. Vencemos. Três a zero. Ponto. Fecha parágrafo.

Agora desembucho. Não consigo me conformar com o futebol destes indivíduos que tem a petulância de vestir a camisa canarinho. Esta camisa amarela que já foi usada por gente como Pelé, Garrincha, Zico, Romário, Ronaldo e Ronaldinho, e que desperta verdadeiro pavor em qualquer seleção do mundo. Esta mesma camisa que estou vestindo enquanto escrevo estas palavras. Vestí-la e entrar em campo deveria ser uma honra oferecida a poucos mortais. Somente aqueles com ou muito talento ou muita raça deveriam ter esta oportunidade. Na partida de hoje, somente um nome, dos onze que vi em campo, me pareceu apto a sair do vestiário dentro dela: Lúcio, um zagueiro. Não deixa de ser uma infeliz constatação, num país que já foi conhecido como o maior representante do futebol-arte, onde nas mais corriqueiras peladas nos campinhos de várzea, podemos assistir dribles fenomenais e verdadeiros gols de placa.

Me digam com sinceridade, alguém viu um único drible no jogo de hoje? Temos algum jogador que possamos chamar de matador? Onde foram parar nosso meias, aqueles que recebiam a bola da defesa e coordenavam a jogada até os pés de nossos mortais centroavantes? Onde estão aqueles jogadores maravilhosamente irresponsáveis, capazes de entortar três ou quatro adversários, pelo puro prazer de conduzir a redondinha? Isso faz parte do passado? Não existe mais? É claro que existe! Existe sim, nos campos Brasil afora, de norte a sul do país. Ainda existe nos pés de muita gente que o Dunga preferiu afastar de seus bons e obedientes garotos, que nunca vão dormir sem rezar e escovar os dentes, por prudência. Não pegaria bem, na opinião dele, um Ganso ou um Ronaldinho Gaúcho dar o mau exemplo de mostrar alguma alegria e individualidade perante seus companheiros. O Robinho, para jogar nesse time, teve que aprender a se comportar e a jogar como, sei lá, um frio escandinavo.

Podemos ser campeões jogando assim? Podemos. A questão que me atormenta é que não tenho certeza se quero isso. Não sei se me sentirei bem reafirmando a hegemonia brasileira nesse esporte bretão, mas ao mesmo tempo sepultando aquilo que nos tornou possivelmente os maiores adoradores e certamente os melhores executores do futebol mundial: o talento individual. Luís Fabiano? Kleberson? Maicon? É tudo uma imensa e péssima piada. O único futebol decente jogado nesta copa, na minha modesta e primitiva opinião , foi o de nossos vizinhos e arqui-rivais argentinos. Dá gosto de ver a gana com que eles perseguem a vitória. Mais que o astro Messi, me encanta o jogo do Tevez. Raçudo e insistente, não desperdiça uma jogada, e quando lhe dão espaço, mostra muita habilidade com a bola. Não temos ninguém à altura dele no nosso time (e olha que ele é baixinho...). Isso é fato.

Sim, é bem possível que se formos campeões, eu saia feito um louco berrando e buzinando pelas ruas, na embriagada companhia de outros duzentos milhões de brasileiros. Mas o futebol estará um pouco menor do que já foi.

Dunga burro!!!! Pronto, falei.

sábado, 26 de junho de 2010

PMDB catarinense aprova aliança com DEM

E o caminho de Raimundo Colombo rumo ao governo de Santa Catarina vai sendo pavimentado, apesar do chororô de Michel Temer. Ele que vá dar piti pras negas dele lá em São Paulo. Aqui o PT não é benvindo, caso ele não saiba analisar pesquisas.


No ClicRBS:

Aliança com DEM é aprovada em convenção estadual do PMDB
Proposta obteve 288 dos 425 votos do público

Apesar das vaias provocadas por discursos a favor da tríplice aliança, a coligação com o DEM foi aprovada em convenção estadual do PMDB neste sábado. A proposta obteve 288 dos 425 votos, enquanto o deputado Edison Andrino ficou com 129 votos e nulos somaram 8.

Eduardo Pinho Moreira, como candidato a vice, acumulou 319 votos. Os outros 106 foram brancos e nulos. O ex-governador Luiz Henrique da Silveira superou Paulo Afonso Vieira na vaga para o Senado. Durante a convenção, 249 pessoas preferiram Luiz Henrique contra 171 que optaram por Paulo Afonso. Foram cinco votos brancos e nulos.

Opiniões

Após a decisão, Luiz Henrique comemorou:

— Os companheiros tiveram maturidade de entender que é fundamental a continuidade da polialiança.

Pinho Moreira também ficou satisfeito com o resultado e garantiu que a divisão dentro do partido será restabelecida em breve.

— Essa divisão é momentânea, já tivemos outras disputas internas, mas vamos lutar pela vitória — salientou.

Paulo Afonso apenas afirmou que o partido escolheu o seu caminho e que, agora, seguirá o seu apoio à campanha da candidata Dilma Rousseff (PT) à presidência.

Já Edison Andrino disse, sobre a sua votação, que o resultado demonstra que uma parcela importante do partido não concorda com a forma em que o processo foi conduzido.

Logo após a decisão, Raimundo Colombo compareceu no local da convenção para cumprimentar o partido. Ele fez um breve discurso homenageando Luiz Henrique, Eduardo Moreira e os líderes do PMDB. Também prometeu honrar o acordo com o partido.

– Estou muito feliz. Tenho certeza que o processo foi difícil, mas, no decorrer da campanha, a militância vai se unir e aderir à coligação – disse Colombo.

sexta-feira, 25 de junho de 2010

Vale a Pena Ver de Novo: a novela do vice recomeçou

Na postagem abaixo elogiei a escolha de Álvaro Dias, DESDE QUE ela tivesse sido aprovada previamente pelo DEM. E pelo que estou lendo, as coisas não foram bem assim. Neste caso, o DEM faz muito bem em não aceitar esta imposição. Eu adoraria saber quem foi o gênio que conduziu as coisas dessa forma. Amadorismo puro. Eu não ficaria espantado se a notícia tivesse sido plantada pelo PT, mas infelizmente não foi...

No Blog do Noblat:

Presidente do DEM diz que não aceita vice do PSDB

O presidente do DEM, Rodrigo Maia, disse que o seu partido não irá aceitar indicação do PSDB para a vaga de vice na chapa do presidenciável José Serra (PSDB), qualquer que seja ela.

O presidente do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE), disse à Folha que está consultando os partidos da aliança sobre o nome do senador Álvaro Dias (PSDB-PR).

Segundo Maia, a única opção que o DEM aceita no PSDB é o ex-governador de Minas Gerais Aécio Neves, fora ele, o nome deve sair do DEM.

Maia aconselhou o PSDB a resolver o problema da aliança no Paraná, que seria contornado com a indicação de Dias para a vice de Serra, indicando o prefeito de Curitiba, Beto Richa (PSDB), para disputar o Senado e dando a vaga de candidato ao governo do Paraná para Osmar Dias (PDT).

"Eles podem resolver o problema do Paraná entre eles. Não controlaram o Beto e agora querem usar a aliança nacional para resolver? O problema do Serra está no Sudeste e no Nordeste, saíram duas pesquisas. Será que eles não entenderam isso?", perguntou Maia.

Para complementar: "Se eles querem abrir mão, que abram no Paraná com o braço deles e não com o meu."

A indicação de Dias para vice de Serra faria com que Osmar Dias, seu irmão, desistisse da disputa ao governo e saísse ao Senado na chapa de Richa.

Desta forma, ficaria inviabilizado o palanque da petista Dilma Rousseff no Paraná, que hoje teria Osmar Dias como candidato ao governo.

Fim da novela: vice será Alvaro Dias

Parece que está confirmado. O PSDB vai mesmo para a disputa com uma chapa puro-sangue. O escolhido para a vaga de vice é o senador Álvaro Dias, do PSDB do Paraná. Caso a decisão tenha sido consensual, é uma ótima escolha. Considero Alvaro Dias um excelente candidato, melhor inclusive que o prório Serra. Crítico ferrenho dos desmandos do PT, não dá mole para o governo no Senado. Mostrou seriedade em suas atuações nas CPIs, e é um dos parlamentares que mais se destacam na defesa da democracia.

Muito se falou em escolher um vice nordestino, ou uma mulher. O DEM teria bons nomes para estas duas hipóteses, e na minha opinião deveriam ter feito a indicação, por estarem no direito de fortalecer o próprio partido. Se abriram mão da vaga, muito bem. Cederam a alguém com ótimas credenciais e que joga no mesmo time que eles. THE END...

Na Folha:

Senador tucano Alvaro Dias será o vice de José Serra

O senador tucano Alvaro Dias (PSDB-PR) será o vice do correligionário José Serra na chapa presidencial que disputará as eleições deste ano.

Fontes do PSDB ouvidas pela Folha já dão como certa a escolha de Dias para a vaga, que, conforme revelou o "Painel" da Folha na última quinta-feira, já vinha pressionando a cúpula do partido para ocupar a vice.

Por meio do microblog Twitter, o presidente do PTB, Roberto Jefferson, adiantou a informação: "Falei agora com o Sergio Guerra [presidente nacional do PSDB]. O vice será o Álvaro Dias", disse.

Sergio Guerra, porém, também pelo Twitter, afirmou que o PSDB está "consultando líderes e presidentes dos partidos aliados" para decidir o candidato a vice-presidente.

A escolha do senador paranaense vai contra os interesses do DEM, principal aliado do PSDB no plano nacional. Os democratas tentavam evitar uma chapa puro-sangue tucana para emplacar nomes como o deputado José Carlos Aleluia (BA) ou Valéria Pires Franco (PA), vice-presidente do partido.

A estratégia do PSDB ao escolher Dias para a vice de Serra tem também como objetivo ajudar a apagar incêndios nos palanques regionais do presidenciável tucano. No Paraná, terra do senador, seu irmão, Osmar Dias (PDT), cogita concorrer ao governo do Estado em aliança com o PT da candidata à Presidência pelo PT, Dilma Rousseff.

Agora, porém, a tendência é que Osmar recue nas intenções em se lançar candidato a governador para tentar uma vaga ao Senado ao lado do pré-candidato ao governo do Paraná Beto Richa (PSDB).

quinta-feira, 24 de junho de 2010

E que venha a onda azul!

No Ex-Blog do Cesar Maia:

ONDA AZUL: AMÉRICA LATINA ACOMPANHA EUROPA!

1. Na Europa, a cada semana novos resultados eleitorais vão mostrando que a Onda Azul (centro/centro-direita) se espalha e se torna hegemônica no continente. As exceções -Espanha e Portugal- enfrentam crises profundas e apontam para a mesma onda azul na sucessão. A da Espanha será ano que vem.

2. Na América do Sul as vitórias de Piñera no Chile e Santos na Colômbia reforçaram essa tendência e formam um expressivo vetor com Garcia no Peru. O desgaste de Chávez é crescente a ponto de querer intervir nas eleições parlamentares de 26 de setembro. A inflação de dois dígitos, a recessão, a crise energética e a criminalidade, reforçam esse quadro. Lugo, no Paraguai, está imobilizado e seus 'casos' lhe tiraram autoridade. Correa perdeu as iniciativas internas, engessado pela dolarização e a inércia. Morales foi derrotado em mais da metade das grandes cidades nas eleições de dois meses atrás.

3. Mujica foi uma exceção com sua vitória no Uruguai. Kirchner vai perdendo densidade, enfrentando problemas de energia e de uma inflação de fato de 20%. A eleição presidencial do ano que vem aponta para uma vitória da oposição no segundo turno, reforçando a Onda Azul. A derrota de Kirchner e a perda de maioria parlamentar um ano atrás, anteciparam essa tendência. A eleição de outubro no Brasil marcará sensivelmente essa tendência, pelo tamanho e importância do Brasil. Uma derrota do PT significará que a Onda Azul espalhou-se também pela América do Sul.

4. Na América Central e também do Norte, a tendência é a mesma. Nos EUA, a derrota de Obama e a perda de maioria na câmara de deputados na eleição de novembro vai sendo sinalizada pelas pesquisas. O México consolida a tendência ao centro/centro-direita com Calderón na presidência com alta popularidade apesar da violência dos cartéis de drogas. A alternativa a ele passou a ser o PRI, de centro/centro-direita e não mais o PRD, de esquerda.

5. Na América Central, Martinelli, no Panamá, abriu a Onda Azul, seguido por Pepe Lobo em Honduras. Em El Salvador a esquerda venceu, mas o bom senso do presidente Fulnes mitigou essa vitória. Na Nicarágua, Ortega e seus sandinistas tentam todo tipo de golpe formal para se manter no poder. Sua impopularidade é crescente e, não havendo golpe, sua derrota ano que vem será inevitável. Incluindo a caribenha República Dominicana, a Onda Azul se reforça com o sucesso econômico da administração de Leonel Fernandez.

6. Esse é um processo conhecido, onde as Ondas políticas e econômicas europeias chegam com atraso na América Latina, mas em geral chegam. É o que está ocorrendo.

7. Este Ex-Blog -que sempre acompanhou a dinâmica política latino-americana- manterá esta linha, analisando e informando sobre os processos eleitorais latino-americanos e a dinâmica dessa Onda Azul.

Você sabe o que é Haka?

Eu diria que é uma espécie de Antônio Nunes, hehe. Mas segundo a Wikipedia:

"O Haka são todas as danças típicas do povo Maori em que os homens se colocam à frente das mulheres. Estas fazem o apoio das vozes nas costas dos homens. É uma dança que demonstra a paixão, o vigor masculino e a identificação com a raça. É usada tanto para dar boas vindas a visitantes quanto para intimidação de tribos inimigas.

Segundo o povo Maori, Tama-nui-to-ra, o deus do sol, tinha duas mulheres, sendo uma delas Hine-raumati, a virgem do verão (perdendo este estatuto!), da qual nasceu Tane-rore, creditado pela origem da dança. Tane-rore representa o vento nos dias quentes de verão, na dança coreografado com o tremor de mãos.

Os All Blacks se preparando para a haka no jogo da final da Copa das Três Nações, contra a Austrália, de 2005Actualmente o Haka é conhecido mundialmente pela performance de intimidação no início dos jogos de Rugby da seleção da Nova Zelândia (All Blacks), que costuma antes de seus jogos executar uma haka específica chamada Ka Mate.

Antés da dança, o chefe que conduz a dança grita aos companheiros um refrão de incitamento, coisa que no caso dos All Blacks é feita pelo jogador de sangue maori mais velho, nāo sendo este necessariamente capitāo da equipe. As palavras são utilizadas nāo só para incitar quem está realizando a dança, mas também para recordar-se o comportamento correto durante a mesma. Muitas vezes o tom utilizado para gritar o refrāo é o mesmo utilizado no curso de toda a exibiçāo, ou seja, quanto mais agressivo, feroz e brutal, mais vai incentivar o grupo - e intimidar o adversário."


Imaginem a torcida do Avaí fazendo o Haka antes das partidas... Seria um espetáculo! Vejam esse vídeo dos All Blacks, a seleção de Rugby da Nova Zelândia, fazendo o Haka antes de uma partida contra a Inglaterra:

terça-feira, 22 de junho de 2010

Dunga em Um Dia de Fúria

Videozinho sobre o barraco ocorrido entre Dunga e os jornalistas da Rede Globo na entrevista coletiva após a vitória da Seleção Brasileira sobre a equipe da Costa do Marfim:


sábado, 19 de junho de 2010

Comercial da Heineken: I love you

Os caras são excelentes!

E Dilma corre de mais uma...

No Blog do Reinaldo Azevedo:

DILMA RECUSA MAIS UM CONFRONTO COM SERRA E MARINA, AGORA NA CNA. EXPLICA-SE: ELA PRECISA NÃO EXISTIR PARA SER ELEITA

A candidata petista a Presidente, Dilma Rousseff, havia topado participar de uma sabatina promovida pelo portal UOL e pela Folha Online. Cancelou. Alegou problema de agenda — essa viagem que ela faz à Europa, sempre notando que a viagem é que se sobrepôs à sabatina, não o contrário. No dia 1º de julho, a CNA (Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária do Brasil) realiza também o seu encontro com os presidenciáveis, a exemplo do que fez a CNI, da Indústria. José Serra (PSDB) e Marina Silva (PV) vão participar. A petista está, de novo, com problema de agenda.

Publiquei no blog o filme de duas curtas intervenções de Dilma na sua viagem à Europa. Fica evidenciada ali a sua dificuldade de se expressar com clareza — e não se sabe até onde isso é conseqüência da dificuldade de pensar com clareza. Os embates públicos, na primeiríssima fase da campanha, não lhe foram, com efeito, satisfatório. E o PT decidiu que Dilma falará sem opositores até quando for possível. E, no melhor dos mundos, assim seguirá até o fim.

Dilma quer evitar o efeito comparação. O maior temor, evidentemente, é Serra, com quem aparece empatada nas pesquisas. Mas o embate com Marina também não lhe é confortável. Num caso, teme a confrontação técnica; no outro, a, como posso dizer?, mitológica.

Serra não é exatamente um adversário a quem se possa responder com a tradicional chicana petista, que mistura supervalorização dos feitos de Lula — até setores do Ministério do Planejamento evidenciam a patacoada da fala oficial (ver abaixo) — com mistificação ideológica. Com o tucano, a velha saída à esquerda do petismo não funciona. De modo curioso até, os petistas insistem em afirmar, ainda que por vias tortas, que esquerdista mesmo é… Serra!!! Dilma fica sem discurso.

Com Marina, a coisa se opera em outro nível. Ainda que pouca gente entenda direito o que a candidata verde diz — ela goza de uma espécie de licença para ser genericamente boa, genericamente bem-intencionada e espantosamente contraditória —, o fato inegável é que a senadora tem a simpatia da audiência. Parece que Marina não mata nem barata antes de um diálogo produtivo sobre todas as implicações éticas de tal ato. Até acho que, no embate das duas, Dilma acaba sendo prejudicada mais por suas eventuais virtudes do que por seus defeitos. Mas e daí? Numa disputa eleitoral, esses discursos não-verbais, próprios das esferas de sentimentos, de sensações, contam muito.

Os analistas abduzidos pelo petismo tendem a afirmar que falta aos adversários de Dilma uma plataforma. Eu diria que, no confronto direto, quem, dos três, realmente não tem plataforma nenhuma que não seja a continuidade é Dilma Rousseff. Tirem-lhe Lula, e vamos ver o que sobra.

O confronto direto evidencia aquilo que o próprio Lula já revelou: há um buraco na cédula, onde “deveria” estar o nome dele. Como a legislação não permite, então vai o nome de Dilma mesmo…

Horário político, horário eleitoral, viagem ao exterior sem opositores para encher o saco… É o único caminho possível para a candidata do PT. Não exibi o filme em que José Eduardo Cardozo leva a mão à cabeça quando Dilma fala só para ser ranheta. Trata-se de um símbolo de uma candidatura.

A chance de Dilma ser eleita está em Dilma não existir. Lembremo-nos fala de Lula:
"Vai ser a primeira eleição, desde que voltou (sic) as eleições diretas para presidente, que o meu nome não vai estar na cédula. Vai haver um vazio naquela cédula."

Dilma está no lugar do vazio. Lula quer eleger o vazio. E o vazio não quer o confronto porque não tem o que dizer. Nem mesmo pode ser socorrida pelas utopias de Marina.

Dilma e comitiva levam pito no funeral de Saramago

Eles não se flagram mesmo. Até em Lisboa eles queimam o filme. Foram tirar uma casquinha e se deram mal.

Trecho de reportagem da Folha:

Comitiva de Dilma Rousseff é repreendida no velório de Saramago

Na manhã deste sábado (19), Dilma Rousseff compareceu ao velório do escritor português José Saramago em Lisboa. A candidata do PT à Presidência da República está em visita a Portugal.

A candidata permaneceu cerca de cinco minutos no local. O tempo foi suficiente para que sua comitiva fosse repreendida pelo cerimonial por estar atrapalhando a passagem das pessoas.

Dilma conversou por alguns momentos com a filha, Violante, e com a viúva de Saramago, Pilar. Na saída, a comitiva da petista parou na escada da Câmara Municipal de Lisboa, onde ocorre o velório do escritor português, para as despedidas. Nesse instante, um integrante do cerimonial chamou a atenção do grupo, dizendo que eles estavam atrapalhando a passagem das pessoas. Dilma e o restante da comitiva desceram as escadas nesse momento.

O corpo do escritor, morto nesta sexta-feira (18), aos 87 anos, está sendo velado na Câmara Municipal de Lisboa, onde chegou por volta das 10h30 (hora de Brasília).

Minha receita de caldo de peixe

Vou dar uma de metido e lhes passar minha receita de caldo de peixe. Sou principiante no preparo de frutos do mar, mas improvisei um pouco e acho que o resultado final não foi ruim.

Ingredientes:
  • 1,200g de postas de corvina
  • 3 tomates
  • 3 cebolas
  • 3 batatas médias
  • aproximadamente 250ml de polpa de tomate
  • manjericão
  • louro

Modo de preparo:
  1. Pique as cebolas e as refogue em uma panela grande. Se possível, utilize azeite de oliva para a fritura.
  2. Acrescente as batatas, cortadas em finas rodelas para o cozimento ser mais rápido. Não é nescessário descascá-las. Adicione água fervente, caso necessário para aumentar o caldo.
  3. Assim que as batatas tiverem amolecido um pouco, junte os tomates previamente cortados.
  4. Para que o caldo fique mais bonito, recomendo o uso de polpa de tomate. Junto com a polpa, tempere com algumas folhas de manjericão e louro. A dosagem fica por conta de cada um.
  5. Salgue o caldo, com pouco sal. O sabor do manjericão irá complementar o paladar.
  6. Experimente o caldo, ajuste o sabor conforme seu gosto, e em seguida acrescente as postas de peixe. Utilizei corvina, mas pode-se usar filezinhos de pescada, merluza, cação, espada, etc, conforme a disponibilidade do peixe e a preferência de cada um.
  7. Deixe ferver por uns 2 ou três minutos e desligue o fogo. Está pronto para servir.
Prefiro comer puro, sem nenhum acompanhamento, mas arroz ou farinha de mandioca combinam com a receita. Bom apetite.


quarta-feira, 16 de junho de 2010

Santa Catarina: DEM reage à intervenção do PMDB

Esse Michel Temer é mesmo um ridículo. Não controla o PMDB de São Paulo, seu próprio estado, onde o PMDB cerrou fileiras com José Serra, e vem querer dar pitaco aqui em Santa Catarina. Se o PMDB catarinense fizer o que ele quer, sairá das urnas dono de uma humilhante derrota. Para fazer um mimo ao Lula, planeja enterrar um pedaço de seu próprio partido. Ignora o fato de que o DEM foi aliado e apoiou o governador peemedebista Luiz Henrique ao longo de todo seu mandato.

No Radar on-line:

DEM decide retaliar PMDB

A executiva do DEM decidiu há pouco que caso haja intervenção do PMDB nacional para derrubar a aliança do partido com Raimundo Colombo em Santa Catarina, o DEM fará o mesmo para derrubar a aliança do partido com Roseana Sarney no Maranhão.

Dos quatro estados em que o DEM tem candidato, ele é aliado do PMDB apenas em Santa Catarina e no Maranhão. Em Sergipe e na Bahia estão em campos opostos.

Copa 2

Juro que durante o jogo ontem, pensei comigo mesmo: como é que um país miserável e repressivo como a Coréia do Norte consegue enviar torcedores à África do Sul? A população coreana, além de não ter nem o que comer, não tem permissão para sair do país, como é habitual nos regimes comunistas. Hoje encontrei a explicação para minha dúvida.

No UOL:

Torcedores da Coreia do Norte no jogo contra o Brasil eram atores chineses

O colorido grupo de torcedores que apoiou a Coreia do Norte com bandeiras e vestuários durante a derrota para o Brasil por 2 a 1, na última terça-feira, era formado por atores chineses, revelou nesta quarta a imprensa da China.

O Comitê de Esportes da Coreia do Norte contratou os ‘voluntários’ através da empresa China Sports Management Group e distribuiu mil entradas para que eles animassem a seleção durante o Mundial da África do Sul.

São poucos os norte-coreanos que têm condições de viajar à África para acompanhar a Copa, por conta do alto custo e da dificuldade de obter visto para deixar o país, que vive sob um regime político fechado.

Segundo os jornais chineses, não foi a parte financeira que pesou para os atores assumirem o papel de torcedores da Coreia do Norte. Como a China está fora da Copa, os aficcionados demonstram seu apoio aos vizinhos do continente – mais para as duas Coreias e menos para o Japão, um rival histórico.

Em uma pesquisa promovida pela televisão estatal CCTV para medir a preferência da população no Mundial de 2010, a Coreia do Norte figura entre os escolhidos dos telespectadores, junto com Brasil, Argentina e Espanha.

Copa 1

E o jogo do Brasil ontem, hein? Que coisa medonha... Com exceção do futebol do Robinho, não houve nada bonito ou emocionante para se ver durante os 90 minutos. Nem Kaká rendeu o mínimo esperado.

Somos cinco vezes campeões do mundo, participamos de todas as copas e inundamos o mercado internacional do futebol com nossos craques. A Coréia do Norte, se não estou enganado, faz este ano apenas sua segunda participação em copas do mundo. Tínhamos obrigação de vencer, e vencer bem, com um placar elástico. Não o fizemos, e ainda tomamos um gol no final.

Não sei se era esse tipo de futebol que Dunga tinha em mente quando fez sua abominável convocação, deixando de fora jogadores que o mundo inteiro inveja. Mas, se for para continuar com este futebol medíocre, ou vou torcer pelo futebol bonito em outras seleções, ou vou torcer pelo meu país assistindo qualquer esporte mais empolgante que isso aí, como o golfe.

segunda-feira, 14 de junho de 2010

Guns'N Roses: I Used to Love Her

PMDB catarinense abre mão de candidatura e apóia Raimundo Colombo, do DEM

Ótima notícia! Agora só falta o Pavan (PSDB) também abrir mão, até porque não tem condições de vencer, e reeditar a Tríplice Aliança. Colombo entrará na disputa como franco favorito, em minha modesta opinião. Além de hoje já ocupar a segunda colocação nas pesquisas, terá um tempo de TV considerável na campanha, e apoios políticos fortes nas 3 legendas. Santa Catarina estará livre do PT por mais quatro anos, e ainda oferecerá um forte palanque ao Serra.

No ClicRBS:

Pinho Moreira recua, e Raimundo Colombo fica com candidatura ao governo de Santa Catarina
Acordo entre PMDB e DEM foi anunciado na manhã desta segunda-feira

A segunda-feira começou com decisões no cenário político de Santa Catarina. O acordo entre DEM e PMDB foi anunciado nesta manhã, na Assembleia Legislativa de Santa Catarina. O senador Raimundo Colombo (DEM) será o candidato ao governo do Estado. Ainda não há definições sobre o cargo de vice.

O ex-governador Eduardo Pinho Moreira (PMDB) garantiu abrir mão da candidatura. A aliança foi divulgada depois de um encontro entre os dois que durou cerca de duas horas na noite de domingo.

— É normal que houvesse um recuo. Então, nesta hora eu recuo e apoio a candidatura de Colombo. Esta é uma decisão tomada depois de exaustivas conversas. As demais composições virão de apoios partidários — disse Moreira, em entrevista à rádio CBN/Diário.

Agora, os partidos aguardam um posicionamento do PSDB para completar a tríplice aliança.

— Vamos fazer uma aliança com objetivo de ajudar Santa Catarina. Este é um momento de união e, juntos, somos mais fortes — diz Raimundo Colombo.

O governador Leonel Pavan (PSDB) já foi avisado e ainda não se manifestou sobre a coligação.

Recomendo! Que não assistam!

Ontem aluguei o filme Colapso no Ártico, em busca de um suspense. O filme é de 2006, talvez alguns já tenham visto. O trailer me pareceu interessante, e caí feito um patinho. Além de um enredo xaropento baseado no aquecimento global, com a mamãe natureza se revoltando contra a humanidade, tem um daqueles finais que dá vontade de arremessar o controle remoto para despedaçar a tela da TV. Não assistam! E recomendem demais a algum amigo que queiram muito sacanear. Afinal, é para isso que eles servem.

Este é o trailer, para que não tenham dúvida:

Direita crescendo na Europa!

Um dia a gente também chega lá. Com este dia ainda distante, afinal nem temos um representante que se possa chamar de direitista, nos resta esperar e torcer para que a direita mundial se fortaleça para conter o delírio esquerdista que ainda vigora em boa parte do mundo.
No Ex-Blog do Cesar Maia:

SEPARATISTAS VENCEM AS ELEIÇÕES NA BÉLGICA!

(El País, 14) Os nacionalistas separatistas de Flandres se convertem no partido mais votado. Os socialistas francófonos aceitam negociar um acordo para reformar o país. Com isso, a paisagem política belga deu um giro espetacular que aponta tempos de incerteza com o claro triunfo da "Nova Aliança Flamenca" (N-VA), o partido republicano e conservador que objetiva a independência de Flandres. O grupo de Bart Weyer superou todas as expectativas ao obter 30% dos votos em Flandres e 17,2% no conjunto do país e converter-se no primeiro partido da Bélgica com 28 de 150 cadeiras no parlamento.

CENTRO-DIREITA VENCE NA ESLOVÁQUIA!

(El País, 14) A centro-direita (conservadores, liberais, democristianos e húngaros moderados) ganhou as eleições parlamentares neste fim de semana na Eslováquia e procura formar um governo de coalizão em substituição do atual, encabeçado pelos social-democratas do SMER. Este obteve 33,8% dos votos, ou 71 cadeiras contra 79 cadeiras no parlamento da coalizão de centro-direita.

Folga

O Blog esteve de folga esse final de semana. Não tive saco para comentar convenções partidárias, Copa do Mundo, musiquinhas, etc. Recomeçamos hoje, segunda-feira, e com layout novo!

quinta-feira, 10 de junho de 2010

Rota de fuga

No Blog do Reinaldo Azevedo:

Dilma não comparece a duas outras entrevistas

Além de ter cancelado a participação na sabatina Folha-UOL, a pré-candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, também não confirmou participação em ao menos dois programas de TV, o “Roda Viva”, da Cultura, e o “CQC”, da Band.

No “Roda Viva”, em que o entrevistado é sabatinado por jornalistas e convidados, a presença de Dilma se daria em 28 de junho. Dois de seus adversários, o tucano José Serra e Marina Silva, do PV, já aceitaram o convite. O programa com Marina será exibido na segunda-feira e o de Serra no dia 21.

No “CQC”, Serra e Marina já participaram do quadro “O Povo quer Saber”, em que foram questionados sobre temas que iam de propostas de governo a questões pessoais.
Dilma ainda cancelou sua participação em um “talk show” que seria promovido pela CBIC (Câmara Brasileira da Indústria da Construção) em Maceió. Serra também foi convidado, mas não aceitou.

Segundo a coordenação da campanha petista, a ausência de Dilma é motivada por problemas de agenda e não há nenhuma resistência a debates ou entrevistas. Para justificar a falta na sabatina da Folha, que foi negociada durante quatro meses, os petistas argumentaram que ela terá que cumprir uma agenda internacional com visita a três países.

“É preciso compreender que a campanha precisa priorizar alguns compromissos”, disse o presidente do PT, José Eduardo Dutra. Marina criticou a desistência de Dilma de participar da sabatina Folha-UOL: “Lamento que o Brasil tenha sido privado da possibilidade de conhecer mais sobre as ideias e as propostas dos que concorrem à Presidência”. Serra não quis comentar.

terça-feira, 8 de junho de 2010

Dilma amarela e foge de sabatina e debates

Com medo da cair no ridículo novamente, a candidata petista optou por fugir da comparação com os outros candidatos. Sua autoestima não deve andar lá estas coisas...

Leiam no UOL:

Dilma cancela participação na sabatina Folha/UOL

A pré-candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, cancelou sua participação na sabatina da Folha em parceria com o UOL no dia 17.

Estão mantidas as sabatinas Marina Silva (PV), dia 16, e José Serra (PSDB), dia 21.

A razão apresentada por Dilma para cancelar sua participação foi o agendamento de uma viagem internacional. Ela visitará França, Espanha e Portugal.

O tour será realizado de 14 a 20 de junho. Servirá para que sejam produzidas imagens da ex-ministra ao lado de governantes desses países. Esses registros serão usados nos programas de TV.

A Folha e o UOL argumentaram com a direção da pré-campanha de Dilma que as sabatinas foram agendadas depois de mais de quatro meses de negociações.

Quando se chegou a um acordo, foi realizado um sorteio para fixar a ordem dos sabatinados, com representantes das três campanhas.

Em 13 de maio, todos concordaram assinando um documento no qual cada campanha se comprometia a cumprir o ajustado.

Em nome de Dilma Rousseff assinou o assessor Marcelo Parada, indicado pelo coordenador de comunicação Rui Falcão (SP).

A Folha e o UOL, o maior jornal e o maior portal de conteúdo do país, apresentaram também convites aos principais pré-candidatos há cerca de seis meses para participarem do primeiro debate ao vivo pela internet no país.

Diferentemente do rádio e da TV, na web é possível fazer debates a qualquer tempo sem necessidade de convidar todos os candidatos.

Até agora, só Serra e Marina aceitaram a realização desse debate. "Por enquanto ainda não tomamos a decisão de debater na internet", disse ontem Rui Falcão.

Debates em internet já anunciados por alguns sites e portais "não estão confirmados nem fazem parte ainda de nossa agenda", disse o deputado estadual.

Falcão disse que Dilma estaria disposta a remarcar a sabatina da Folha e do UOL quando voltar da Europa, mas essa decisão dependerá da aceitação dos outros candidatos, pois a ordem dos eventos foi definida em sorteio, com anuência do PT.

segunda-feira, 7 de junho de 2010

Médica brasileira que atua em Israel dá seu relato sobre a tal "flotilha humanitária"

No Mídia Sem Máscara:

Flotilha armada: brasileira que atua na IDF conta o que viu

"Sei que todos já estão cansados de ouvir falar do que aconteceu em Gaza nesta semana, mas como ouvi muitas asneiras por aí, resolvi contar a vocês a minha versão da história. Eu não quero que pensem que virei alguma ativista ou algo do gênero. Eu continuo a mesma Ana de sempre. Mas por ter feito parte desse episódio, não posso me abster de falar a verdade dos fatos. Eu estava lá! Ninguém me contou. Não li no jornal. Não vi fotos na Internet ou vídeos no Youtube. Vi tudo como foi mesmo, ao vivo e com muitas cores. Como vocês sabem, eu estou servindo com médica na medicina de emergência do Exército de Israel, departamento de trauma. Isso significa: medicina em campo.

4h30 da manhã de segunda-feira: meu telefone do Exército começa a tocar. Possíveis conflitos em Gaza? Pedido de ajuda da força médica, garantir que não faltarão médicos. Minha ordem: aprontar-me rapidamente e pegar suprimentos, o helicóptero virá me buscar na base. No caminho, me explicam a situação. Há um navio da ONU tentando furar a barreira em Gaza. Li todos os registros fornecidos pela inteligência do Exército (até para entender o tamanho da situação). O navio se aproximou da costa a caminho de Gaza. O acordo entre Israel e a ONU é que todos os barcos devem ser inspecionados no porto de Ashdod em Israel e todos os suprimentos devem ser transportados pelo nosso Exército a Gaza. Isso porque cerca de 14 mísseis tem sido lançados de Gaza contra Israel diariamente. E não podemos permitir que mais armamento e material para construção de bombas seja enviado ao Hamas, grupo terrorista que controla gaza. Dessa forma, evitamos uma nova guerra. Ao menos por agora.

O navio se recusou a parar. Disseram que eles mesmo entregariam a carga a Gaza. Assim, diante de um navio com 95% de civis inocentes (os outros 5% são ativistas de grupos terroristas aliados ao Hamas, que tramaram toda essa confusão), Israel decidiu oferecer aos comandantes do navio que parassem para inspeção em alto mar. Mandaríamos soldados para inspecionar o navio e se não houvesse armamento ele poderia seguir rumo a Gaza. Essa foi uma atitude extremamente pacifista do nosso exército, em respeito aos civis que estavam no navio. E, se não há armamento no navio, qual é o problema de que ele seja inspecionado? Os comandantes do navio concordaram com a inspeção.

5:00h - Minha chegada em Gaza. Exatamente no momento em que os soldados estavam entrando nos barcos. E foram gratuitamente atacados: tiveram suas armas roubadas, foram espancados e esfaqueados. Mais soldados foram enviados, desta vez para controlar o conflito. Cerca de 50 pessoas se envolveram no conflito, 9 morreram. Morreram aqueles que tentaram matar nossos soldados, aqueles que não eram civis pacifistas da ONU, mas sim militantes terroristas que comandavam o grupo. Todos os demais 22 feridos entre os tripulantes do navio, foram atendidos e resgatados por nós, eu e minha equipe e enviados para os melhores hospitais em Israel.

Entre nós, nove feridos. Tiros, facadas e espancamento. Um deles ainda está em estado gravíssimo após concussão e seis tiros no tronco. Meninos entre 18 e 22 anos, que tinham ordem para inspecionar um navio da ONU e não ferir ninguém. E não o fizeram. Israel não disparou nem o primeiro, nem o segundo tiro. Fomos punidos por confiar no suposto pacifismo da ONU. Se soubéssemos a intenção do grupo, jamais teríamos enviados nossos jovens praticamente desarmados para dentro do navio. Ele teria sim sido atacado pelo mar. E agora todos os que ainda levantam a voz contra Israel estariam no fundo mar.

Depois de atender os nossos soldados, me juntei a outra parte da nossa equipe que já cuidava dos tripulantes. Mesmo com braceletes dizendo médico em quatro línguas (inglês, turco, árabe e hebraico) e estetoscópios no pescoço, também a nós eles tentaram agredir. Um deles cuspiu no nosso cirurgião. Um outro deu um soco na enfermeira que tentava medicá-lo. Além de agressores, são também ingratos. Eu trabalhei por 6 horas seguidas atendendo somente tripulantes do navio. Todo o suprimento médico e ajuda foram oferecidos por Israel. Depois do final da confusão o navio foi finalmente inspecionado. Lotado de armas brancas e material para confecção de bombas caseiras. Onde é que está o pacifismo da ONU??? Na terça-feira, fui visitar não só os nossos soldados, mas também os feridos do navio. Essa é a política que Israel tenta manter: nós não matamos civis como os terroristas árabes. Nós não nos recusamos a enviar ajuda a Gaza. Nós não queremos mais guerra. Mas jamais vamos permitir que matem os nossos soldados.

Só milionário idiota que acha lindo ser missionário da ONU não entende que guerra não é lugar para civis se meterem. Havia um bebê no barco (que saiu ileso, obviamente): alguém pode explicar por que uma mãe coloca um bebê em um navio a caminho de uma zona de guerra? Onde eles querem chegar com isso? Eles não entendem que foram usados como ferramenta contra Israel, e que a intenção nunca foi enviar ajuda a Gaza e sim gerar polêmica e criar ainda mais oposição internacional. E continuam sem entender que dar força ao terrorismo do Hamas, do Hezbollah ou do Irã só significa mais perigo. Não só a Israel, mas ao mundo todo. E o presidente Lula precisa também entender que desta guerra ele não entende. E que o Brasil já tem problemas demais sem resolver. Tem mais gente passando fome que Gaza. Tem muito mais gente morrendo vítima da violência urbana no Rio do que mortos nas guerras daqui. E passar a cuidar dos problemas daí. Dos daqui, cuidamos nós.

Eu sempre me orgulho de ser também brasileira. Mas nesta semana chorei. De raiva, de raiva de ver que especialmente no Brasil, muito mais do que em qualquer outro lugar, as notícias são absolutamente distorcidas. E isso é lamentável. Não me entendam mal. Eu não acho que todos os árabes são terroristas. Mas sei que quem os controla hoje é. E que esta guerra não é só contra Israel. O Islamismo prega o extermínio de todo o mundo não árabe. Nós só somos os primeiros da lista negra. Por favor, encaminhem este e-mail aos que ainda não entendem que guerra é guerra e que os terroristas não são coitadinhos. Eu prometo escrever da próxima vez com melhores notícias e melhor humor. Tenho algumas boas aventuras pra contar."


Ana Luiza Tapia fez "Aliá" há pouco mais de dois anos e serve ao exército israelense (IDF - Israel Defense Forces), na área médica.

sábado, 5 de junho de 2010

A Barricada dando voz aos excluídos!

Tomei uma decisão! Seguindo o espírito dos blogs, que é dar força àqueles que não tem espaço, vou publicar aqui as versões covers de músicas que me agradarem. Anônimos, como eu e vocês, terão aqui um espaço a mais para exibir seus talentos. Quando conseguirem apresentar algo a mais que o habitual, ou algo inédito, terão espaço garantido.

Sempre gostei de ouvir versões pessoais das músicas que curto, mas tinha receio de estar sacaneando os criadores da obra. Hoje percebo que a melhor forma de divulgar a obra de alguém é mostrar que tem gente que os deseja imitar. O Youtube também está aí para facilitar meu trabalho, né? Começo pela última música que publiquei aqui, da qual encontrei diversas versões melhores que a original. Os excluídos agora tem voz ativa nesse blog!

Peço apenas que os aplausos e vaias sejam direcionados diretamente ao espaço deles, geralmente páginas pessoais do Youtube ou outros sites. É importante para eles, e não quero lhes roubar o mérito.

Give a Little Bit, do Supertramp, versão cover (disponível no Youtube):

Supertramp: Give a Little Bit

video

sexta-feira, 4 de junho de 2010

O PT e sua fábrica de dossiês


Eleição após eleição eles aprontam. Jamais confie neles. Agem de forma suja e às escondidas, como RATOS. E vão roendo a democracia para implantar seu projeto de poder totalitário.

No Estadão:

Campanha de Dilma trouxe araponga da Satiagraha para montar dossiês

Conhecido por suas apurações sigilosas, sargento da reserva Idalberto Matias de Araújo aceitou missão proposta por petistas e indicou delegado para ajudá-lo; trabalho custaria R$ 200 mil mensais

BRASÍLIA - A articulação para montar uma central de dossiês a serviço da campanha de Dilma Rousseff à Presidência da República contou com a participação de arapongas ligados aos serviços secretos oficiais. Um deles é o sargento da reserva Idalberto Matias de Araújo, o Dadá, recém-saído do Cisa, o serviço secreto da Aeronáutica.

Conhecido personagem de apurações sigilosas em Brasília, o sargento esteve, por exemplo, ao lado do delegado Protógenes Queiroz nas investigações que deram origem à Operação Satiagraha, que levou o banqueiro Daniel Dantas à prisão.

A participação de Idalberto de Araújo remonta às origens do plano de inteligência petista. Em abril, após ter sido procurado por emissários da campanha, o sargento disse que aceitaria o serviço, mas necessitaria de apoio. Deixou claro que, para executar a missão proposta pela campanha, seria preciso chamar mais gente.

O sargento, então, indicou um amigo de longa data, o delegado aposentado da Polícia Federal Onésimo de Souza, dono de uma pequena empresa de segurança instalada num conhecido centro comercial de Brasília. As conversas avançaram.

Outros agentes, dentre eles um araponga aposentado do extinto Serviço Nacional de Informações (SNI) e um militar que já serviu à Agência Brasileira de Inteligência (Abin), chegaram a ser contatados para integrar a equipe. O passo seguinte foi chegar a um valor para o serviço.

É onde começa o contato direto entre o agente e um dos principais profissionais da área de comunicação da campanha de Dilma, o jornalista e consultor Luiz Lanzetta. Dono da Lanza Comunicação, empresa contratada pelo PT para fazer a assessoria de imprensa da campanha, Lanzetta marcou um encontro com o sargento e o ex-delegado.

A reunião ocorreu no restaurante Fritz, na Asa Sul de Brasília. A dupla disse a Lanzetta que, pelo serviço, cobraria R$ 200 mil por mês. O delegado justificou o preço com o argumento de que seria preciso montar uma equipe de 12 pessoas para a missão.

Bunker. Lanzetta se encarregou de detalhar o serviço de que precisava. A primeira tarefa seria interna, no bunker que ele próprio montara no Lago Sul. Desconfiado de que seu trabalho estaria sendo sabotado por gente do próprio PT, o consultor queria que os arapongas descobrissem a origem do fogo amigo.

O pacote incluiria ainda investigações que pudessem dar à campanha de Dilma munição para ser usada, em caso de necessidade, contra adversários. O alvo preferencial era o candidato tucano José Serra.

A proposta para contratação dos serviços do araponga e do delegado foi levada, então, para o núcleo central do comitê de Dilma. O assunto chegou a ser discutido com o ex-prefeito de Belo Horizonte Fernando Pimentel, coordenador da campanha. Num primeiro momento, Pimentel avaliou que o preço estava alto demais. Disse que topava pagar, no máximo, R$ 60 mil.

O grupo já estava discutindo estratégias de trabalho - um dos planos era infiltrar um agente no núcleo de inteligência da campanha de José Serra - quando começaram a vazar para a imprensa informações acerca de supostos dossiês produzidos pelo bureau montado por Lanzetta na fortaleza petista do Lago Sul.

Era o que faltava para os ânimos se acirrarem ainda mais no comitê. O imbróglio realçou, no interior da campanha de Dilma, o conflito entre dois grupos: o do mineiro Fernando Pimentel, responsável por levar Lanzetta para o staff de Dilma, e o do ex-ministro Antonio Palocci.

Conspiração. Nos bastidores, Pimentel, alçado ao comando da campanha por conta de sua velha amizade com Dilma, acusa Palocci e o deputado paulista Rui Falcão, coordenador de comunicação do comitê, de tramarem para derrubá-lo. Aliados de Pimentel afirmam que foi Falcão quem deixou vazar informações sobre o dossiê, para enfraquecer o ex-prefeito na cúpula da campanha.

Ao Estado, Pimentel negou que tenha sido procurado pelo grupo de Lanzetta para tratar de contrato o araponga. "Se houve isso, é iniciativa da empresa do Lanzetta, para resolver algum problema relacionado à empresa dele", disse. "Nunca tratamos disso na coordenação da campanha." Pimentel também negou desentendimento com Falcão. "Mnão sei se tem esse negócio de grupos, o que sei é que sou amigo fraterno do Rui há 40 anos."

Procurado pela reportagem, Idalberto não quis falar sobre o assunto. "Não estou entendendo por que você está me ligando", disse ele, antes de desligar o telefone. Lanzetta se negou a dar declarações, embora tenha admitido o contato com o araponga e o ex-delegado. Onésimo de Souza não foi localizado até o fechamento desta edição. A assessoria de Dilma limitou-se a reproduzir declaração da pré-candidata petista, segundo a qual não havia ninguém autorizado a negociar dossiês para a campanha.

A chegada das tainhas

Após longa espera, elas estão de volta para a alegria e alívio dos pescadores artesanais e para aqueles que apreciam a carne desse peixe. A praia do Pântano do Sul , em Florianópolis registrou quinta-feira passada o primeiro lanço, com 1,5 tonelada do peixe, que deve ser consumido de preferência assado, nas mais diversas formas, como na grelha, na telha, na folha de bananeira, no forno, etc.

Quem nunca assistiu de perto o processo da captura dos grandes cardumes de tainha, pode ter uma idéia da saga dos míticos pescadores no vídeo abaixo, em uma reportagem do Jornal Nacional do ano passado:

video

quinta-feira, 3 de junho de 2010

Venezuela: estado policial

Este é o atual estado do país governado por Hugo Chavez, refém das vontades e mimos do ditador. E é bom que se lembre, apoiado pelos trouxas que o aplaudem aqui do Brasil, que adorariam implantar por aqui o mesmo modelo.

No UOL Notícias:

Venezuela cria organismo que poderá "limitar" difusão da informação

CARACAS, 3 Jun 2010 (AFP) -O governo da Venezuela decretou esta quarta-feira a criação de um centro de análise encarregado de "recompilar, processar e analisar" informações sobre "qualquer aspecto de interesse nacional" que poderá ser declarada "reservada" ou "classificada" para limitar sua difusão.

O Centro de Estudo Situacional da Nação (Cesna), órgão subordinado ao ministério do Interior, "será o encarregado de recompilar, processar e analisar de forma permanente a informação (...) sobre qualquer aspecto de interesse nacional, com o objetivo de prover de apoio analítico-informativo o Executivo Nacional", diz o decreto publicado na edição de quarta-feira da Gazeta Oficial.

Entre suas funções, o Cesna "poderá declarar de caráter reservada, classificada ou de divulgação limitada qualquer informação, fato ou circunstância, que no cumprimento de suas funções tenha conhecimento", acrescenta o texto, sem anunciar que áreas abarcaria.

O organismo é criado como parte da corresponsabilidade do "Estado e da sociedade" nas "matérias de segurança e defesa integral da nação".

O governo da Venezuela não divulga há meses cifras oficiais sobre vários aspectos, mas principalmente em questões como insegurança e saúde.

Floripa antiga: você conhece cada lugar destes?

Clique nas imagens para ampliá-las e visualizar melhor.
















terça-feira, 1 de junho de 2010

Pesquisa RIC Record / Brasmarket : os números

Para o governo do estado, Ângela Amim e Raimundo Colombo abrem vantagem sobre os demais. Pavan vem em terceiro, Ideli em quarto (!) e Eduardo Pinho Moreira em quinto lugar. Creio que os números fortalecem a hipótese da reedição da tríplice aliança, com Colombo como cabeça de chapa. Mesmo que não saia a aliança, possivelmente no segundo turno Ângela será apoiada pelo PT e Colombo pelo PSDB e talvez o PMDB.

* Ângela Amin (PP) 28%
* Raimundo Colombo (DEM) 19%
* Leonel Pavan (PSDB) 13%
* Ideli Salvatti (PT) 12%
* Eduardo Pinho Moreira (PMDB) 8%

Para o Senado, o previsto. Luíz Henrique e Esperidião Amim liderando:

* Luiz Henrique (PMDB) 31%
* Esperidião Amin (PP) 19%

Para a Presidência, Serra mantém boa margem de distância sobre Dilma:

* José Serra (PSDB) 36%
* Dilma Rousseff (PT) 23%
* Marina Silva (PV) 8%

O instituto Brasmarket fez 1.813 entrevistas, entre os dias 21 de maio e 29 de maio. A margem de erro máxima é de 2.3%, para intervalo de confiança de 95%.

As entrevistas foram distribuídas em 30 municípios, sorteadas aleatoriamente, sendo incluídas em caráter obrigatório as seis sedes das mesorregiões.

Na primeira pesquisa Brasmarket para o governo do Estado realizada no dia 3 de maio a deputada Ângela Amin tinha 24%, passou para 28%. Raimundo Colombo também subiu de 15% para 19%.