terça-feira, 31 de agosto de 2010

Reinaldo Azevedo desmascara Dilma e o Governo Lula

Não é necessária nenhuma formula mágica para enfrentar Lula e sua popularidade. Basta falar a verdade, sempre.

No Blog do Reinaldo Azevedo:

Dilma no Jornal da Globo: ela falou o oposto da verdade sobre Cuba, sobre as Farc, sobre o dossiê, sobre os investimentos… E o meu papel é falar o oposto da mentira

Tenho cá pensado algumas coisas, que desenvolverei com mais fôlego em seu devido tempo. Os tontinhos e puxa-sacos creditam a fabulosa popularidade de Lula às “qualidades do governo” apenas, às suas “conquistas”. Comparativamente, jamais houve evento tão extraordinário na economia como o Plano Real. E seu efeito foi mais concentrado no tempo. Deu para perceber a mudança com mais rapidez. Sim, o Plano rendeu a FHC duas eleições no primeiro turno, o que Lula nunca conseguiu. Mas o ex-presidente jamais teve a popularidade do petista, embora seu feito tenha sido incomparavelmente maior. Mais do que isso: os petistas conseguiram atingir gravemente o seu legado pessoal. Não creio que alguém tenha tido a biografia tão criminosamente maculada — um crime político, que há de nos envergonhar um dia como nação — como FHC. Por que é assim?

O PT se tornou o grande narrador da história; da sua e da dos outros. Outro dia, um desses bocós fazia um réquiem para o PSDB — antes do resultado das eleições, a nacional e a dos estados, como de hábito — e só contabilizava desastres. O PT como narrador da história tomou o jornalismo, a academia e, por um bom tempo, as ruas. Se o PSDB, ou seus herdeiros políticos, quiserem enfrentar essa formidável máquina de mentiras, terão de ter o destemor de enfrentar os historiadores da mistificação. Os tucanos não são ruins apenas de marketing, como apontou o presidenciável José Serra. Também são ruins como narradores. Acovardaram-se diante da figura de Lula. Mas, como disse, isso fica para o futuro. Chego ao tema.

A presidenciável petista, Dilma Rousseff, concedeu no começo desta madrugada uma entrevista de 20 minutos ao Jornal da Globo, conduzida por William Waack e Christiane Pelajo. E é sobre a Dilma narradora da história que quero falar um pouco. Sem dúvida, ela está mais experiente. Ainda não diz coisas opostas à verdade com a desenvoltura de seu mestre, mas a criatura demonstra que pode assombrar os fatos com as fantasias e as distorções mais grotescas. Prestem atenção a esta seqüência. Seguem algumas perguntas em presto, as respostas da candidata em vermelho e a verdade em azul.

A MENTIRA SOBRE CUBA
William Waack: Candidata, a senhora tem uma longa história política. A senhora foi torturada durante a ditadura militar. Como é que a senhora se sentiu quando ouviu o presidente Lula comparar presos de consciência em Cuba a bandidos em São Paulo?
Dilma Rousseff: Olha, William, eu acho que a trajetória política e de vida do presidente Lula não pode permitir que a gente acredite que o presidente Lula foi uma pessoa que não lutou a vida inteira pelos direitos humanos. Eu, da minha parte, tenho consciência disso e tenho presenciado isso. Acho que de forma muito discreta, inclusive, o Brasil é responsável pela soltura dos presos políticos. Eu não digo que ele é responsável, que seria também muita pretensão minha, mas eu acredito que o presidente Lula, o Itamaraty e todas as tratativas feitas de forma discreta - como deve ser feito, até porque, se você não fizer de forma discreta, você não consegue muitas vezes o seu objetivo - responsável pela soltura dos presos políticos em Cuba. Agora, eu da minha parte, tenho uma convicção, William. Sabe qual é? A minha vida pessoal, ela teve um momento muito duro. Eu vivi a minha juventude durante a ditadura e lutei contra ela do primeiro ao último dia. Tenho absoluta solidariedade com presos políticos. Sou contra crimes de opinião, crimes políticos ou crimes por pensar, por querer ou por opor e vou defender isso a minha vida inteira.

William Waack: Ou seja, a senhora jamais faria essa comparação?
Dilma Rousseff: Não, eu não acho correto transformar o presidente e falar que o presidente tomou uma atitude errada nesse episódio. O presidente, eu vou repetir, foi responsável, um dos, pelas tratativas de soltura dos presos políticos cubanos.

A VERDADE SOBRE CUBA
Dilma está se referindo aos presos soltos por interferência da Igreja Católica e do governo da Espanha. É mentira! O governo Lula não teve qualquer influência nesse processo. Ao contrário. Lula é aquele lembrado na questão de William Waack: chegou a Cuba um dia depois da morte do preso político Orlando Zapata. Negou-se a receber uma carta dos dissidentes e deu aquela declaração ignominiosa, comparando os presos políticos a bandidos comuns. Além desse, o outro grande vexame do governo brasileiro foi precisamente este: deu seu apoio incondicional aos irmãos homicidas, enquanto a Igreja e o governo espanhol faziam uma pressão pública pela libertação dos prisioneiros, que acabou acontecendo, o que deixou o Itamaraty constrangido, do tamanho de Celso Amorim. Não custa lembrar: o governo Lula é aquele que devolveu a Fidel dois boxeadores que haviam fugido da ilha.

E vocês certamente notaram que ela não responde a pergunta. Falei ontem sobre a inutilidade de debater com esquerdistas porque eles ignoram a questão que está posta para evocar alguma condição superior que os tornaria especialmente bons e éticos. É o que faz Dilma. Naquele seu português com sotaque búlgaro, afirmou: “Eu acho que a trajetória política e de vida do presidente Lula não pode permitir que a gente acredite que o presidente Lula foi uma pessoa que não lutou a vida inteira pelos direitos humanos”. Entenderam? Como Lula seria um defensor, por princípio, dos direitos humanos, ele os defenden mesmo quando os massacra. É um acinte!

A MENTIRA SOBRE AS FARC
Christiane Pelajo: Candidata, é notório que as Farc, as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia, estão relacionadas ao tráfico de drogas e também ao crime organizado aqui no Brasil. Por que a senhora hesita em chamar as Farc de narcoguerrilha?
Dilma Rousseff: Eu jamais hesitei em chamar, falar que as Farc tem relações com o tráfico. É público e notório.

Christiane Pelajo: Então a senhora está declarando aqui que as Farc são uma narcoguerrilha?
Dilma Rousseff: Não estou declarando, não. O governo do presidente Lula acha as Farc ligadas ao crime, ao crime organizado e ao crime do tráfico de drogas. Nunca escondemos esse fato. Aliás, essa história das nossas relações com as Farc foi muito bem-respondida pelo próprio presidente, ex-ministro da Defesa da Colômbia, que disse o seguinte: em várias oportunidades, ele, ministro da Defesa, que combateu inequivocamente as Farc na Colômbia, conversou com elas, teve diálogo, porque tem momentos que, sem ele ter o diálogo, ele não consegue acabar e negociar a paz. Então, no Brasil, a gente tem de perder essa - eu acho assim - essa visão um tanto quanto conspiradora que muitas vezes se coloca. Se não se conversar, você não consegue, inclusive, a paz. E eu acho que ele foi muito feliz na resposta que ele deu pra uma revista nesse domingo - né?, foi domingo que saiu - em que ele diz: eu e outros políticos colombianos conversamos também.

A VERDADE SOBRE AS FARC
O governo Lula nunca admitiu o caráter narcoguerrilheiro ou narcoterrorista das Farc. Ao contrário. Eis a fala de Marco Aurélio Garcia, assessor licenciado de Lula — agora assessorando Dilma — em entrevista ao jornal Le Figaro: “Eu lhes lembro que o Brasil tem uma posição neutra sobre as Farc: nós não as qualificamos nem de grupo terrorista nem de força beligerante. Acusá-las de terrorismo não serve pra nada quando a gente quer negociar.” Íntegra aqui. Eis a verdade. O resto é invenção de Dilma.

Mais: as ligações do PT com as Farc estão documentadas. A “revista” a que ela se refere é a VEJA. Na edição desta semana, o entrevistado das Páginas Amarelas é Juan Manuel Santos, novo presidente da Colômbia. Indagado sobre as ligações do PT com as Farc, deu a resposta que pode dar um presidente da República, minimizando o fato etc. Busca evitar um conflito com o governo brasileiro numa fase em tenta se afirmar como o novo líder do país. E diz que ele próprio teve contato com as Farc “durante os processos de paz”. Já os contatos dos petistas se deram durante a fase de guerra! O que Dilma está dizendo? Os petistas estavam tentando algum acordo com os narcoterroristas por acaso? Que políticos colombianos tenham conversado com a canalha, vá lá. Mas por que os petistas? Com que propósito? E o que dizer do requerimento em que a então ministra contrata a mulher de um chefão terrorista para trabalhar no governo? Segundo um e-mail do marido a um comparsa, a nomeação foi parte de uma operação política.

A MENTIRA SOBRE DOSSIÊS ETC
Christiane Pelajo: Candidata, a Receita Federal negou intenção política na quebra de sigilo no vazamento de dados de tucanos na semana passada. Integrantes do seu partido já foram envolvidos em montagem de dossiês contra opositores. Como é que a senhora pode dar garantias pra gente, pra população que isso não vá acontecer num eventual governo da senhora?
Dilma Rousseff: Olha, eu tenho muito tempo de vida pública, Christiane. E jamais compactuei com nenhuma união mal feita. Tenho insistido que a acusação da oposição a mim e à minha campanha é absolutamente sem fundamento. Inclusive, entrei com seis medidas jurídicas contra o candidato, meu opositor - não eu, mas o meu partido -, e também pedi providências à Política.. é, à Polícia Federal pra investigar esse fato. Eu considero que é absolutamente injustificável que uma pessoa acuse outra sem apresentar provas. Nós temos pedido sistematicamente que apresente provas. Aliás, se essa situação for colocada dessa forma, eu queria dizer uma coisa: o partido do candidato meu adversário tem uma trajetória de vazamentos e grampos absolutamente expressiva. Por exemplo, vazamento das dívidas dos deputados federais com o Banco do Brasil nas vésperas da votação da emenda da reeleição. Os grampos que existiram no BNDES e também os grampos feitos juntos ao próprio gabinete, o secretário da Presidência da República. Eu jamais usei esses episódios pra tornar o meu adversário suspeito de qualquer coisa porque eu não acho correto. Agora, eu também não concordo e que sem provas me acusem ou acusem a minha campanha. Eu tenho uma trajetória política. Na minha trajetória política, eu tive sempre absoluta respeito pela legalidade e pelo uso do dinheiro público. Então não vejo nenhuma justificativa para as acusações a não ser interesse eleitoral.

A VERDADE SOBRE DOSSIÊS ETC.
De certo modo, essa não-verdade de Dilma é até mais escandalosa do que as outras.
1 - Está provado que o sigilo de Eduardo Jorge estava com petistas. Os repórteres encontraram o documento com gente da campanha de Dilma.
2 - E daí que ela entrou na Justiça? Muda o fato de que seus auxiliares estavam com o sigilo fiscal de Eduardo Jorge na mão?
3 - A menos que mande na Polícia Federal, não é Dilma que decide quando uma coisa será ou não investigada.
4 - Os grampos no BNDES eram contra o PSDB. As tramóias contra Eduardo Jorge, boa parte obra de petistas, também eram contra o PSDB. E os dossiês de agora são contra… o PSDB! O que Dilma pretende com essa enrolação? Sua generosidade estaria em não acusar o PSDB, então, de armar falcatruas contra si mesmo?

Não, senhora! O “partido do adversário” de Dilma tem uma trajetória de VÍTIMA DE VAZAMENTO E GRAMPOS. A trajetória do PT é de PROMOTOR DE VAZAMENTOS E GRAMPOS. Recentemente, um especialista em dossiês contratado pelo PT confessou que o grupo atuou até no caso Lunus, que destruiu a candidatura de Roseana Sarney em 2002 — Roseana é uma espécie de Dilma da oligarquia; ambas se expressam mais ou menos com a mesma clareza…

AS MENTIRAS SOBRE OS INVESTIMENTOS
Christiane Pelajo: Candidata, vamos mudar um pouco de assunto. O Brasil investe muito pouco em relação ao PIB e os investimentos dependem basicamente de Petrobrás e setor privado. Por que o governo Lula não conseguiu investir?
Dilma Rousseff: Eu não concordo com a afirmação. Acho que houve um esforço extraordinário do governo Lula para investimento. E isso ficou, isso é visível hoje nos números. Nós aumentamos bastante o investimento público - óbvio que a Petrobrás aumentou o seu investimento, que a Eletrobrás aumentou investimento. Agora, os investimentos privados, por exemplo, na área de infraestrutura foram demandados por leilões do governo…

Christiane Pelajo: Já que a senhora está falando de números, eu gostaria de dar alguns números aqui. Quarenta por cento da riqueza nacional do país vão para o governo e o governo só é responsável por dois por cento dos investimentos do país.
Dilma Rousseff: Veja bem. É o tipo do dado que ele não tem precisão econômica, ele não tem precisão orçamentária. Porque é o seguinte: o governo, ele, infraestrutura, nós passamos mais de 25 anos sem investir. Hoje nós estamos fazendo as seguintes obras: interligação da bacia do São Francisco, seis bilhões de reais. Para levar o quê? Para levar água para 12 milhões de pessoas no semi-árido nordestino. Acabamos com a história do racionamento de oito meses que aconteceu no Brasil. Hoje, vocês não veem mais alguém dizendo que o Brasil corre risco de racionamento, porque não tem risco de racionamento. Você vê Jirau e Santo Antônio. Vou te dar outro exemplo….

A VERDADE SOBRE OS INVESTIMENTOS
Uma ova! Estão preparados para uma informação que deixará abalados até aqueles 2% (já seria, segundos essas fabulosas pesquisas, apenas 0,5% desde quando comecei a redigir este texto?) que acham o governo Lula “ruim” ou “péssimo”? A taxa de investimentos em relação ao PIB — que é a que conta — do governo FHC, mesmo com CINCO GRANDES CRISES EXTERNAS, foi superior à do governo Lula. Entre 1995 e 2002, foi de 0,83% do PIB; entre 2003 e 2009, foi de 0,64%. Vamos ver se a campanha de Dilma diz que estou mentindo. Não vai dizer. Porque EU não estou mentindo! Se formos considerar os investimentos das estatais, Lula leva uma ridícula vantagem: 2,19% contra 2,10%!!! Então, que cascata é essa de que não houve investimentos durante 25 anos??? Não procurei a taxa do governo Sarney, com inflação galopante e tudo. Mas é provável que tenha sido superior à do próprio governo Lula.

E assim caminhamos. Há muitas outras verdades que esqueceram de acontecer aí. Volto ao ponto inicial deste texto. Os que eventualmente tenham algum interesse pela democracia e pelo estado de direito no país terão de se organizar para, quando menos, tomar nas mãos as rédeas da própria história, que hoje foi seqüestrada pelo PT. Um seqüestro que, se não é exatamente consentido, é ao menos facilitado por certa atração fatal que os tucanos sentiram pelos adversários nos últimos oito anos. E só para arrematar: com as exceções de sempre, não contem com a imprensa para repor as coisas no seu devido lugar.

domingo, 29 de agosto de 2010

Maria Bethânia e Caetano Veloso: Oração da Mãe Menininha

Gilmar Mendes: quebra de sigilo fiscal é ‘banditismo político’

No Blog do Josias de Souza:

Ministro do STF, Gilmar Mendes tachou de “banditismo político” a violação do sigilo fiscal de personagens ligados ao PSDB e ao presidenciável José Serra.

Enxerga no malfeito "paradigmas selvagens da política sindical" que, sob Lula, viceja nas repartições públicas.

Gilmar falou ao repórter Felipe Seligman. A entrevista foi às páginas da Folha. É o segundo ministro do Supremo a condenar o descalabro.

Antes dele, Marco Aurélio Mello classificara o episódio de “golpe baixo”. Os dois já presidiram o STF. Abaixo, algumas das frases de Gilmar Mendes:


- A violação: “É algo assustador e lamentável. Sobretudo quando ocorre em uma instituição profissionalizada e profissional como a Receita Federal”.

- A ocupação: “O aparelhamento de instituições é algo grave e nocivo ao serviço público do país. Os funcionários públicos precisam entender que não estão a serviço de uma instituição partidária”.

- A politização: “O servidor não pode usar button e isso é algo que se transformou em cultura ao longo do tempo. É uma anomalia que se normalizou.

- A 'dossiêmania': “É preciso punir gravemente essa cultura de dossiês no país. Os partidos que se utilizaram disso têm que pedir desculpa. Têm que fazer um mea culpa. Porque isso é típico de partido da clandestinidade e não pode ocorrer em um regime democrático”.

- A selvageria: “A cultura do vale-tudo da política sindical também pode estar ligada a tudo o que vem acontecendo. Não se pode transpor ao mundo político institucional os paradigmas selvagens da política sindical. Também vejo isso como outra fase do patrimonialismo. Aqueles que estão no poder acham que podem fazer tudo por estarem lá”.

- O antídoto: “É preciso que se edite uma lei de abuso de autoridade para punir quem age dessa maneira. Neste caso, porém, o fenômeno é ainda mais grave. É preciso punir tanto aquele que passa as informações como aquele que recebe. Porque quem pega essas informações e as utiliza está estimulando esse tipo de prática”.

- O balcão: “Tanto participa do crime aquele que furta como aquele que compra o objeto furtado. Por isso que as agremiações políticas também devem ser responsabilizadas por receber essas informações. Ou então devem ir a público e repudiar esse tipo de prática de banditismo político. Porque isso não tem nada a ver com política partidária”.

- Culpa do PT?: “Isso eu não posso dizer, mas é preciso verificar quem está por trás disso. Se for partido de governo é algo ainda mais grave. Quando a Receita é aparelhada, os Correios são aparelhados, quem é que vai confiar nessas instituições? E quando elas ficam desacreditadas, abre-se espaço para aventuras antidemocráticas”.

Ponta das Almas

sábado, 28 de agosto de 2010

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

O pirão desandou

Lamento muito lhes informar, mas pelo visto entramos em um caminho sem volta rumo ao totalitarismo. O Brasil passa a ser uma filial do PT. Todas nossas instituições, construídas ao longo de séculos, hoje estão a serviço dos propósitos petistas. Como muito bem observou hoje Mônica Serra sobre as constantes violações de sigilos, se ninguém for punido, já estamos de fato vivendo sob uma ditadura. Podemos todos ter certeza de que, se for interessante para o Partido, teremos nossa vida devassada. Aqueles que de alguma forma atrapalharem os planos de hegemonia do PT, serão transformados em párias da sociedade. Somos todos Francenildos de hoje em diante.

Já apresentamos vários sintomas de um país totalitário. Nossos governantes criminalizam a imprensa diariamente, e anunciam sem qualquer escrúpulos que pretendem substituí-la. Os poucos veículos que ainda levantam a voz são demonizados. Aos poucos, fatos que eram considerados absurdos, dignos de manchete na primeira página, tornam-se tão comuns que já não despertam indignação nem tampouco surpresa. Estamos aos poucos assimilando que agora somos propriedade de Lula e do PT. Não temos mais o direito de questioná-los, já que eles estão lá exclusivamente para nos guiar em direção ao paraíso na Terra. Devemos nos unir ao rebanho e lhes oferecer a unanimidade.

BIG BROTHER IS WATCHING YOU

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

O Brasil que você não verá na propaganda

Assisto sempre que posso ao Horário Eleitoral Gratuito. Os programas tanto da candidata do governo quanto do candidato da oposição mostram um quadro muito positivo do país, em que tudo está indo muito bem, e basta ao próximo presidente continuar o que já vem sendo feito, com pequenas e raras adequações. Vivemos em uma espécie de Suécia dos trópicos, com a grande vantagem de sermos ainda bons de bola e de rebolado.

Será que é isso mesmo? Prestemos mais atenção aos fatos, e deixemos um pouco de lado a propaganda da exaltação nacional. Vamos por partes:

Saúde:
Como anda o atendimento médico no SUS? Quanto tempo levamos para realizar uma cirurgia após termos conseguido heroicamente agendado uma consulta? Pelo que sei, alguns bons meses.
Qual foi o desempenho do governo no combate à Gripe Suína? Simplesmente fomos o país com o maior número de mortes em todo o planeta Terra.
A Dengue, como anda? Verão após verão batemos recordes de infectados Não custa lembrar que na oposição, O PT demonizou o então ministro da Saúde do governo FHC, tachando-o de "ministro da dengue". Era de se supor que no governo, o PT soubesse como tratar do assunto. Ou será que não?

Educação:
Estamos entre os últimos lugares do mundo no desempenho dos alunos. Nossos estudantes mal sabem ler e escrever. Interpretar um texto para eles é uma missão quase impossível. Muitos de nossos professores estão mais interessados em fazer a apologia de regimes falidos do que ensinar alguma coisa que preste dentro da sala de aula. Nosso presidente gaba-se de não ter estudado, dando seu vergonhoso exemplo como modelo para a população.

Segurança:
Produzimos sem muito esforço mais mortes violentas por dia que qualquer guerra da atualidade. Isso é fato. Nossos criminosos já derrubam até helicópteros militares. Coisa de filme. Chacinas, tiroteios e sequestros tornaram se banais. Não assustam mais ninguém. A impunidade reina absoluta, incentivando cada vez mais os jovens a seguir carreira no crime. O crack é hoje consumido sem qualquer cerimônia nas ruas das cidades, com a mesma naturalidade que se chupa um picolé. Mas nem pense em dar uma palmada corretiva em seu filho. O Estado é quem sabe o que é bom para ele.

Infra-Estrutura;
Estradas que parecem que foram bombardeadas. Apagão elétrico. Aeroportos travados. Saneamento básico semelhante ao da Idade Média. Portos paralisados. A produção nacional lutando inutilmente para chegar ao mercados com preços competitivos. Milhares de pessoas perdendo suas vidas em acidentes que poderiam ser evitados. Inaugurações de obras fictícias. Sem cumprir a mínima parte das metas anunciadas do PAC, lançam o PAC 2. E ainda pretendemos realizar uma Copa do Mundo...

Política Externa:
Talvez o campo em que colecionamos o maior número de vexames. Defendemos ditadores onde quer que eles estejam. Devolvemos ao cárcere natal aqueles que ingenuamente buscaram asilo político por aqui, como os boxeadores cubanos que desertaram durante o Pan. Cuba, Venezuela e Irã são nossos parceiros preferenciais na política. Em Honduras, lutamos para que sua população continuasse submetida a um violador da constituição do país. Importantes figuras do governo seguem agindo em conluio com os narcoterroristas das FARC. Nosso presidente comparou a criminosos aqueles que deram sua vida em defesa da liberdade e da democracia. Fingimos não acreditar nas intenções nucleares do lunático Ahmadinejad, somente para fazer birra com os EUA. Neste campo, felizmente não somos levados a sério por ninguém.

Economia:
Maiores juros reais do mundo. Crescimento econômico pífio em relação aos demais emergentes. Uma das maiores desigualdades sociais do planeta. Carga tributária absurdamente alta em troca de serviços públicos abomináveis. Endividamento público crescente. Preço dos combustíveis elevadíssimo com o nobre propósito de sustentar as milhares de boquinhas da companheirada na Petrobrás, à despeito do preço internacional do petróleo ter desabado nos últimos anos. Agronegócio refém dos saqueadores do MST. Indústria perdendo participação no PIB.

Política e Corrupção:
Mensalão. Dólar na cueca. Sarney, Collor, Renan e Zé Dirceu dando as cartas. Partidos à venda. Deputada dançando em comemoração à impunidade para seus colegas de partido. Uso descarado da máquina pública para beneficiar aliados. Dossiês pra lá e para cá para perseguir adversários políticos do governo. Imprensa e liberdade de expressão sob constante ataque. Um presidente que nunca viu e nunca soube de nada.

E aí? Em qual Brasil você vive? No da propaganda ou neste que está descrito no texto? Está na hora de acordar, meus amigos. Não sigam o rebanho rumo ao precipício.

terça-feira, 24 de agosto de 2010

CNT/Sensus: Região Sul não engole Dilma

Segundo o instituto, por aqui Serra venceria já no primeiro turno. Ah, meu bom e velho Sul, se todos fossem iguais a você...

Os números são estes:
Serra: 47,8%
Dilma: 35,7%
Marina: 6,9%

Maria Bethânia: Olhos nos Olhos

Não canta nada essa menina...

Dilma tenta fazer os católicos de patos

No Blog do Reinaldo Azevedo:

Dilma e os patos. Ou: petista faz chacota de católicos

Ainda nesta terça, porta-vozes do PT disfarçados de jornalistas escreverão coisas mais ou menos assim: “Este veículo (escolham qual) apurou que a candidata Dilma Rousseff não quer salto alto na campanha e que ela considera que ainda não venceu a disputa…” Nota: antigamente, sempre que se recorria à fórmula “este veículo apurou”, o propósito era informar alguma coisa que contestava a fala oficial da personagem da notícia. Com a chegada do PT ao poder, os áulicos conseguiram criar o estilo do “repórter farejador a favor”, que “apura” justamente o que a personagem quer que ele noticie. Franklin Martins, João Santana e José Eduardo Dutra lhes contam os “segredos” do partido, e eles não economizam: “Este veículo apurou…” Vocês sabem como “farejar” é um hábito antigo dos mamíferos, especialmente os que têm os pés no chão — os quatro, quero dizer…

Por que isso? Dilma Rousseff tinha prometido comparecer ao debate promovido ontem pela TV Canção Nova e pela Rede Aparecida de Comunicação, emissoras de rádio e TV católicas. Deu o cano. Faltou. Alegou problema de agenda. Enquanto o debate corria, a candidata postou no Twitter: “Olha q interessante, o Pato Fu interpretando músicas de sucesso usando instrumentos de brinquedo”. Alertado por assessores, o candidato Plínio de Arruda Sampaio, do PSOL, levou a informação ao ar: “Sabe o que ela está fazendo? Tuitando! (…) Os meus tuiteiros disseram que ela está agora assistindo a uma banda chamada Pato Fu”.


Dilma — ou quem quer que escreva o seu Twitter — estava fazendo chacota dos seus adversários e, obviamente, dos católicos, que, estou certo, gostariam de ouvi-la sobre alguns temas, especialmente porque a candidata acaba de assinar uma “Carta ao Povo de Deus”, em que procura negar o seu óbvio alinhamento com a legalização do aborto, tese que já chegou a defender claramente em entrevista. Não só isso: o decreto do Programa Nacional de Direitos Humanos, que ganhou forma na Casa Civil, fazia a defesa explícita da legalização.

Por que Dilma faltou com a palavra empenhada e preferiu ficar assistindo a um vídeo do Pato Fu? Porque considera que a eleição já está no papo e que o confronto entre os candidatos não é mais matéria do seu interesse. Supostamente detentora dos votos de que precisa para se eleger, não se sente na obrigação de explicar mais nada a ninguém. Candidatos não são obrigados a participar de debates, é claro — a menos que tenham se comprometido a fazê-lo.


A ausência busca caracterizar, no extremo da arrogância, o evento como um encontro de derrotados. Dilma, a rigor, nunca quis saber dos eleitores porque tem aquele que considera o único eleitor realmente relevante: Lula. O resto é só um bando de patos fu…

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Mulher Pêra formaliza chapa com Dilma, Marta e Mercadante

É o que o senador Eduardo Suplicy anunciou. Mulher Pêra, Mulher-Abacaxi e Mulher Abobrinha unidas!

Humoristas protestam contra censura imposta pelo TSE

Piada é um país que impede seus artistas de fazerem seu trabalho justamente num momento importante como este. Avançamos rumo à ribanceira.

Na Folha:

Passeata de humoristas reúne cerca de 500 pessoas no Rio

Cerca de 500 pessoas participam da passeata Humor sem Censura, organizada pelo grupo de humoristas "Comédia em Pé", na orla de Copacabana, do Rio de Janeiro, segundo a Guarda Municipal.

A manifestação contra uma norma do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) que proíbe a veiculação, por rádio ou TV, de entrevistas ou montagens que "degradem ou ridicularizem" candidatos também conta com a presença de humoristas famosos.

Fábio Porchat, do "Comédia em Pé", Danilo Gentili, do "CQC", e Sabrina Sato, do "Pânico", foram os primeiros a chegar. Marcelo Madureira, do "Casseta e Planeta" também está na caminhada.

Manifestantes fantasiados se uniram aos humoristas e caminham em direção ao Posto 6, no final da Praia de Copacabana.

Porchat disse que o objetivo é mostrar que o veto a referências a candidatos em programas humorísticos "é um prejuízo para a população, não só por fazer as pessoas pararem de rir, mas também por criar uma alienação".

"A censura é uma ameaça à democracia. Veja o exemplo da Venezuela", disse Gentili, referindo-se a decisão de um tribunal do país de proibir a publicação de fotografias que mostrem cenas de violência.

Estão sendo coletadas assinaturas para um abaixo assinado pedindo a revisão da determinação.

Segundo a norma, a emissora que ridicularizar candidatos pode ser multada pela Justiça em até R$ 106.410, valor que dobra em caso de reincidência.

A norma, que consta da lei 9.504/97 e foi regulamentada por resolução do TSE, vale desde 1º de julho até o fim do período eleitoral.

Vejam aqui a cobertura do evento feita pelo Pânico na TV :

Oposição: Basta de gols contra

Ao invés de mostrar o Lula no seu programa eleitoral na TV, bem que o Serra poderia mostrar o Índio da Costa, não acham? Ainda não me conformei. Tantos aliados de peso para mostrar e escolhem justo o Lula para colocar na vitrine.



Não seria o caso de montarem um programa especial, mostrando quem apóia a coligação? Eu incluiria nessa lista, além do Índio da Costa, figuras como Aécio Neves, Kátia Abreu, Álvaro Dias, Geraldo Alckmin, Fernando Henrique Cardoso, Beto Richa, José Agripino, Demóstenes Torres, Ronaldo Caiado, Raimundo Colombo, Paulo Bornhausen, Rodrigo e Cesar Maia, e por aí vai. Nomes oposicionistas de qualidade e com muitos votos Brasil afora, que estão sendo desprestigiados em prol de uma aproximação com a imagem do Lula. Não tem cabimento. Que Serra e a direção da campanha valorizem os seus aliados. Como podem cobrar empenho nos estados dessa forma?

Cometem este mesmo tipo de erro desde 2002, quando crentes no discurso petista, resolveram afastar-se do legado do Governo FHC. Caíram no conto da carochinha. O resultado vemos nitidamente hoje: Lula se apossou daquilo que lhe interessa e passou oito anos cantando suas supostas proezas, como se tivesse construído tudo sozinho, da noite para o dia. E sem ninguém para lhe desmentir. Depois de oito anos de mentira quase diária, muita gente passou a acreditar nas baboseiras do tipo "nunca antes na história deste país", "vocês governaram por 500 anos" e similares.

A oposição deveria começar a pensar a médio e longo prazo. Assumir posições tomadas no passado e no presente, para que no futuro não volte a se repetir o que acontece hoje: com receio de ser associado com o governo do qual fez parte (e que teve muitos méritos), Serra aparece na TV despudoradamente defendendo o governo de seu principal adversário. Juro que nunca vi nada parecido.

O enfrentamento político é necessário e urgente. Se perderem as eleições, azar. O que não pode acontecer em hipótese alguma é a implosão da oposição, que terá trabalho em dobro num eventual governo Dilma. Podemos olhar para a Venezuela para avaliarmos os efeitos de um governo sem oposição. Pelo que tenho lido, a bancada governista no Congresso Nacional tende a crescer, o que facilitaria a implementação de projetos "bolivarianos" no Brasil. Marco Aurélio Garcia, um dos mais entusiasmados defensores do chavismo, é um dos principais coordenadores da campanha petista, não se esqueçam. O perigo nos bate à porta, e é preciso agir com responsabilidade.

domingo, 22 de agosto de 2010

A volta mais sensacional da história da Fórmula 1

Donington Park, 1993. Ayrton Senna larga na quarta colocação. Logo no início, perde uma posição e cai para o quinto lugar. Inicia uma recuperação incrível, e no final dessa mesma volta já havia ultrapassado todos os quatro que estava à sua frente, entre eles Damon Hill, Michael Schumacher e Alain Prost. No final da corrida, Senna vence com quase uma volta inteira sobre Prost.

Vale a pena relembrar:


sábado, 21 de agosto de 2010

Há exatos 21 anos atrás morria o rock brasileiro

Completamos hoje 21 anos sem Raulzito. No dia 21 de agosto de 1989, o Rock'n Roll brasileiro perdeu seu maior representante. Felizmente, muito do que ele produziu permanece registrado e continuará sendo lembrado por seus fãs, que como eu, não perdem a oportunidade de exigir em toda e qualquer situação que alguém esteja com um violão nas mãos: Toca Rauuul!!! Rauuul!!!

Garimpando na internet, encontrei essa raridade que disponibilizo abaixo. Raul Seixas e Zé Ramalho, na casa deste último, tocando juntos alguns clássicos em 1984 (vídeo em duas partes):



Governo de Santa Catarina: Angela mantém liderança, Colombo avança e Ideli empaca

No Diário Catarinense:

JustificarAngela Amin mantém liderança na corrida pelo governo de Santa Catarina
Nova pesquisa Mapa mostra cenário com poucas alterações na disputa

A primeira pesquisa realizada após o início do horário eleitoral mostra que Angela Amin (PP) continua na liderança da corrida estadual. Para presidente, José Serra (PSDB) e Dilma Rousseff (PT) estão em empate técnico em Santa Catarina.

Este é o resultado da pesquisa Mapa sobre as eleições para o governo e Presidência, encomendada pelo Grupo RBS e realizada entre 18 e 19 de agosto. No plano estadual, Angela se mantém na frente, com 34,6%, seguida por Raimundo Colombo (23,3%) e Ideli Salvatti (15,9%).

Na pesquisa anterior, realizada entre 7 e 9 de julho, Angela também estava em primeiro. Colombo e Ideli apareciam em empate técnico.

Na pesquisa espontânea, em que os nomes não são apresentados aos entrevistados, a candidata do PP é citada por 14,2% dos entrevistados, enquanto Colombo é lembrado por 12% e Ideli por 6,2%.

A um mês e meio da eleição, 61,2% dos entrevistados não sabe dizer, de forma espontânea, o nome do candidato em quem pretende votar.

Para o segundo turno, Angela também lidera os dois cenários em que aparece e apresenta um desempenho melhor quando confrontada com Ideli. Já no cenário que coloca Colombo contra Ideli, o candidato do DEM tem a maior preferência.

A pesquisa ainda testou a rejeição dos candidatos ao governo. Ideli apresenta o maior percentual (12,1%), seguida por Angela (10,9%) e Colombo (7,6%). Todos apresentaram ligeiro aumento do índice de rejeição, em comparação com o levantamento anterior. Quase a metade (49,4%) dos entrevistados afirma não rejeitar nenhum dos oito candidatos.

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Desonra!

Quem assistiu ontem ao programa do Serra na TV, viu logo no início o narrador fazendo elogios ao Lula, numa tentativa infame de tentar colar o candidato tucano na popularidade do presidente.
Winston Churchill, antes de se tornar primeiro ministro britânico, ao comentar a política de seu antecessor com relação à política de apaziguamento com os nazistas, ainda antes da eclosão da Segunda Guerra, disse algo mais ou menos assim:

"Entre a guerra e a desonra, escolheram a desonra. E terão a guerra."

Acho que estas palavras resumem bem o que está sendo feito pela campanha do Serra. Com grandes chances de perderem as eleições, perderam também a vergonha na cara. Fiquei bastante decepcionado. É uma enorme falta de respeito com os eleitores oposicionistas, que passaram 8 anos combatendo os desmandos petistas. Votarei no Serra por obrigação moral e por falta de opção melhor. Votei no PSDB várias vezes, mas tenho cada vez menos simpatia pelo partido. Respeito alguns quadros do partido, e só. Dessa vez, meu voto será muito mais no Índio da Costa, do DEM, do que propriamente no Serra. Entre a guerra e a desonra, escolho a guerra!

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Chavismo na América Latina

No Ex-Blog de Cesar Maia:

CHAVISMO TUPINIQUIM!

Trechos da coluna de Cesar Maia na Folha de SP deste sábado (14).

1. O populismo autoritário na América Latina tem como expressão maior o presidente Chávez da Venezuela. Seu discípulo mais obediente é o presidente Morales da Bolívia. Em outros países inscritos na rede -dita- bolivariana, o Poder Legislativo procura reagir e evitar que a democracia seja totalmente pisoteada. O Brasil é um caso perigosamente intermediário. As tentativas sub-reptícias quando descobertas produzem recuos cínicos do tipo "não era essa a intenção", "não havia lido".

2. São quatro os vetores onde se testa a blindagem da sociedade e do Congresso. O primeiro trata de valores, quanto à vida, a família e as drogas, surpreendidos num tal Plano Nacional de Direitos Humanos. O segundo aponta contra a liberdade de imprensa. O terceiro se direciona às instituições políticas, e a proposta de uma constituinte exclusiva para a reforma política é o caso mais flagrante.

3. O quarto é o mais comum. O presidente atropela o Congresso Nacional assinando tratados, convênios e contratos internacionais. Na semana passada ele declarou que havia assinado, em sua passagem de horas por Caracas a caminho de Bogotá, 28 acordos de cooperação em diversas áreas. Um mês antes assinou com Cuba linhas de crédito de US$ 1 bilhão. Um pouco mais atrás avançou com Bolívia e Paraguai revisões dos contratos do gás e Itaipu. Tem perdoado dividas a bel-prazer e justifica pela pobreza dos países beneficiados.

4. Não se trata de mérito, mas de restrições constitucionais que não dão ao presidente liberdade para decidir sem aprovação do Congresso. Se o Senado for ao STF questionar invasão de competência, esses acordos se tornam inválidos. A Constituição diz em seu artigo 49: "É da competência exclusiva do Congresso Nacional: I - resolver definitivamente sobre tratados, acordos ou atos internacionais que acarretem encargos ou compromissos gravosos ao patrimônio nacional". Em seu artigo 52, ela diz: "Compete privativamente ao Senado Federal: (...) IV- designar os embaixadores. V - autorizar operações externas de natureza financeira, de interesse da União, dos Estados (...) e dos municípios".

5. A bem da verdade, o Senado tem sido omisso. Nas sabatinas com embaixadores, estes têm o tempo de cinco minutos para suas exposições e o rito de escolha é sumário. Não é sem razão que outro dia o presidente afirmou que para ele um senador vale três governadores. Assim explicou os acordos que reduziram à metade os candidatos de seu partido a governador, em relação a 2006.

terça-feira, 17 de agosto de 2010

Serra, o comedor

Está circulando na internet: Serra não perdoa e come todo mundo

Programa Eleitoral: primeiras impressões

Assisti ansioso hoje ao primeiro programa. Sobre os dois principais, achei o seguinte:

O programa do Serra foi fraco. Seria bom caso fosse para um candidato a prefeito, no máximo. Bajula o Lula na musiquinha e insiste naquela tecla, que eu considero ridícula, de uma origem humilde, etc e tal. Vamos ser sinceros, se alguém tem cara e jeito de humilde, mesmo que falsos, esse alguém é o Lula. E se for para agradar o eleitorado lulista, que faça campanha para a Dilma de uma vez. O Lula em carne e osso está lá na outra campanha, e defendendo ela. Infelizmente, se continuar nesse rumo, pode dizer adeus à presidência e se filiar ao PT. Espero que saiam dessa posição covarde e corrijam o discurso enquanto há tempo. Vão acabar se auto-sinucando... Que coloquem o Índio da Costa no lugar do Serra, se for preciso!

O programa da Dilma foi produzido por profissionais competentes. Ótimas imagens e uma Dilma muito diferente daquela real, que gagueja e não fala nada com nada. Mas algumas dúvidas não saem da minha cabeça. Será que é absolutamente legal e ético o fato de usarem imagens internas do Palácio (do Planalto ou da Alvorada, não sei ao certo) mostrando o Lula para a campanha de sua candidata? Sendo aquilo patrimônio público, os demais candidatos teriam o mesmo direito de usá-lo? Além de usarem o presidente, também possuem o direito exclusivo de utilizar os bens públicos em benefício próprio? Se alguém conhecer as minúcias da legislação eleitoral, peço que me responda via comentário. Publicarei aqui.

domingo, 15 de agosto de 2010

Bando de loucas voltam abaladas para casa

Não tinha como dar outra. Com todo respeito ao gavião, o rei da selva é e sempre será o leão. E este cumpriu com sua obrigação, depenou a pobre avezinha antes de botá-la para correr em polvorosa da ilha.

Mesmo com a arbitragem amplamente favorável ao Corínthians, o Avaí empurrou três piabas e passou a integrar definitivamente o seleto G4 do Brasileirão. Que sirva de lição a todos aqueles que ousarem colocar os pés na Ressacada.

Vejam aqui o confronto entre o predador e sua presa:


Reinaldo Azevedo no Entre Aspas

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Meninas da Vila levam umas palmadas e são goleadas pelo Avaí!

Ganso? Neymar? Que nada! Quem manda lá na casa deles é o Leão, do atacante Vandinho! Isso sim é futebol-arte, Mano Menezes! Três buchas, para não deixar dúvidas sobre quem é o rei do pedaço. Semana que vem tem mais, desta vez na Ressacada, para desespero da meninada.

Assim que o vídeo estiver disponível, publicarei aqui, só para sacanear.

Governo Federal envia para escolas livro que descreve estupro e assassinato

Protejam suas crianças! Ministério Lulista da Educação acaba de enviar para que seus filhos leiam na escola um livro que contém textos como este abaixo:

"arriou as calças dela, levantou a blusa e comeu ela duas vezes"

Ou ainda este:

"[Zonha, o criminoso] deu um tiro no olho dele. [...] Ele ficou lá meio pendurado, com um furo na cabeça."

Exemplos imorais deste governo não são novidade nenhuma, eu sei. Palavras obscenas saem diariamente da boca do maior falastrão do país. Isso não nos choca mais, infelizmente. Desta vez, porém, é muito mais grave. Estão desrespeitando aquilo que temos de mais valioso, que são nossas crianças. Nem governos, nem leis, nem nada está acima de nossa obrigação de proteger nossos filhos do que quer que lhes seja prejudicial.

Além da lavagem cerebral esquerdista já entranhada nos livros didáticos e no discurso da maior parte daqueles que se dizem professores, da distribuição de camisinhas nas escolas, da proibição das palmadas corretivas pelos pais, agora eles também oferecem às crianças textos chulos. Não ficaria espantado se qualquer dia desses ficasse sabendo que estão distribuindo drogas ou material pornográfico nas escolas, em nome da conscientização e da prevenção.

Que fiquemos atentos. O perigo, agora além das ruas, também vem das escolas.

Na Folha:

MEC envia a escolas públicas livro que narra estupro

O Ministério da Educação enviou a escolas públicas do país um livro que narra o sequestro de um casal, o estupro da mulher e o assassinato do rapaz, segundo reportagem de Fábio Takahashi publicada na edição desta quinta-feira da Folha (íntegra somente para assinantes do jornal ou do UOL).

Inep diz que cronograma do Enem está "sendo cumprido"
Juíza federal suspende pregão do Enem 2010
Secretaria recolhe livro de educação sexual distribuído em PE
Municípios terão de assinar termo com MEC para receber livro
Divulgação
Livro distribuído pelo MEC a escolas públicas narra estupro, sequestro e tortura
Livro distribuído pelo MEC a escolas públicas narra estupro, sequestro e tortura

De acordo com o texto, 11 mil exemplares da obra foram destinados para serem usados como material de apoio a alunos do ensino médio, com idade a partir de 15 anos. O livro "Teresa, que Esperava as Uvas", integra o programa do governo federal que equipa bibliotecas dos colégios públicos.

As cenas de violência estão presentes no conto "Os Primeiros que Chegaram", que narra, do ponto de vista da criminosa, um sequestro cometido por um casal. As vítimas são torturadas. Há frases como "arriou as calças dela, levantou a blusa e comeu ela duas vezes" e "[Zonha, o criminoso] deu um tiro no olho dele. [...] Ele ficou lá meio pendurado, com um furo na cabeça."

O governo Lula, a autora da obra e a editora defendem a escolha, por possibilitar que o jovem reflita sobre a violência cotidiana. A escolha das obras é feita por comissões de professores de universidades públicas. "O livro passou por uma avaliação baseada em critérios, concorreu com muitas outras obras e foi selecionado", afirmou a escritora do conto, Monique Revillion.

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Serra no Jornal Nacional 2

Eis a entrevista na íntegra:

Serra no Jornal Nacional

Assisti ainda há pouco a entrevista de José Serra no Jornal Nacional. Assisti também às entrevistas de Dilma e Marina. Não tem nem como comparar o desempenho deles. Serra demonstrou uma superioridade abissal em relação às outras candidaturas. Tranquilo, preciso e sincero. Não gaguejou, não lançou dados falsos e muito menos deslocou geograficamente cidades de um estado a outro, como umas e outras. Agora lhes peço licença para me divertir vasculhando a internet a reação dos petistas.

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

True Outspeak Olavo de Carvalho

Listen to internet radio with Olavo de Carvalho on Blog Talk Radio

Dilma no Jornal Nacional!

Mais um sensacional vídeo do Exilado!

Sabem o que Ideli tem a nos dizer sobre o escândalo no qual está envolvida? Absolutamente nada!

Gestapo petista em ação, atacando reputações adversárias com o uso de dados sigilosos. Não possuem limites éticos nem legais em sua busca pelo poder absoluto. Isso é um FATO no Brasil de hoje. O Estado está a serviço de um único partido político, que busca tornar-se partido único, mesmo que informalmente.

No Blog do Moacir Pereira:

Dossiês: “Ideli não vai se manifestar”

- A senadora Ideli Salvatti não vai se manifestar.

A resposta é da assessoria da candidata do PT ao governo sobre as informações divulgadas pelo advogado Gerardo Santiago, ex- assessor do ex-presidente da Previ, Sérgio Rosa, de que teria enviado dossiês contra os adversários José Serra, Antônio Carlos Magalhães, Jorge Bornhausen, ACM Neto. Segundo a Veja a então líder do PT no Senado teria pedido “algum material para constranger a oposição”.

- A senadora recebeu ou não os dossiês?

-Ela não vai se manifestar –reiterou o assessor.

DEM vai ao Conselho de Ética contra Ideli Salvatti

Pessoalmente, torço por sua CASSAÇÃO! É a melhor forma de impedí-la de envergonhar ainda mais os catarinenses.

No Blog do Reinaldo Azevedo:

ESCÂNDALO DA PREVI – DEM anuncia que vai ao Conselho de Ética contra Ideli Salvatti

O deputado Rodrigo Maia (RJ), presidente do DEM, anunciou ontem que o partido vai entrar com uma representação contra a senadora Ideli Salvatti (PT-SC) no Conselho de Ética. Em entrevista à VEJA, Gerado Santiago, ex-diretor da Previ, afirmou que a parlamentar usou na CPI dos Correios dados de um dossiê preparado ilegalmente no fundo para atacar o deputado ACM Neto, que também integrava a comissão. “Vamos tomar medidas judiciais, policiais e congressuais para investigar mais essa imoralidade patrocinada pelo PT”, disse Maia. E acrescentou: “Para agradar aos seus chefes, a senadora petista patrocina a formação de dossiês falsos e forjados contra adversários, uma conduta típica das pessoas covardes e sem caráter.”

Para o ACM Neto, a reportagem da VEJA revela que o PT usa a “bisbilhotagem e a arapongagem” para atacar a oposição: “Alguns dos principais nomes do PT estão envolvidos nesta vergonha, e, mais uma vez, caiu a máscara do partido”. Ele disse que vai tentar fazer com que Santiago seja ouvido no Congresso: “Certamente o advogado, que conviveu muitos anos com os petistas especializados em inventar dossiês, tem muito mais para contar”.

Bem, é o mínimo que o DEM tem de fazer. Que Ideli usou o material e que ele foi parar na capa da revista Carta Capital, bem, isso já está comprovado. Se o papelório veio mesmo dos porões da Previ, então a senadora recorreu a material ilícito, fabricado pela arapongagem, para atingir seus adversários. Tem de ser cassada.

Dica: Costa da Lagoa

Um passeio interessante a se fazer em Florianópolis é ir à Costa da Lagoa. Sem acesso de automóveis, o jeito é encarar uma trilha que margeia o costão, ou para os mais sedentários, como é meu caso, pegar um barco na Lagoa da Conceição e apenas curtir o visual da mata atlântica preservada, os rochedos e as belas águas da imensa lagoa. A ida dura cerca de quarenta minutos até o vilarejo principal (desçam na parada do Ponto 16!). Chegando lá, terão várias opções de restaurantes de frutos do mar, todos à beira da Lagoa. Basta escolher o que mais te agradar, posicionar-se bem confortavelmente em uma cadeira, comer, beber e deixar o tempo trabalhar por você. Uma boa pedida é a cachaça no copinho de barro...

Algumas fotos deste domingo (clique nas imagens para ampliá-las):

The Beatles: Hey Jude

domingo, 8 de agosto de 2010

Ideli Salvatti envolvida em escândalo da violação de sigilos

Esta senhora é candidata ao governo de Santa Catarina. Utilizou a máquina governamental para defender interesses próprios. Certamente com mais poder em mãos, maior será sua tentação autoritária. Para nosso alívio, os catarinenses não pretendem entregar a ela a faixa. Mas no mínimo essa história merece uma investigação séria do Ministério Público, ou mesmo uma CPI.

Leiam um trecho da revista Veja desta semana:

“Em uma sessão da CPI no fim de fevereiro de 2006, o deputado ACM Neto (DEM-BA) estava atacando o governo e perturbando a senadora Ideli Salvatti (então líder do PT no Senado). Então, ela perguntou a um grupo que a assessorava: “Ninguém aí tem nada que possa calar a boca desse moleque?”. Aí eu falei: ‘Senadora, contra o rapaz, não. Mas eu tenho uma munição pesada contra o avô, não serve?’. Ela começou a pular, a comemorar. Ligou para o Sérgio Rosa, e a coisa andou. O Sérgio enviou o dossiê para o gabinete dela. Duas semanas depois, estava tudo na capa da revista Cana Capital (a reportagem foi publicada na edição de 8 de março de 2006)."
Gerardo Santiago, ex-diretor e ex-assessor da presidência do PREVI

Leiam mais no Blog do Reinaldo Azevedo e na Veja desta semana, nas bancas.

sábado, 7 de agosto de 2010

Melhores momentos da Dilma no debate!

E alguns cretinos possuem a cara de pau de afirmar que ela venceu o debate. Para vocês terem uma idéia do nível da cobertura política da nossa imprensa...

É essa mulher que querem nos enfiar goela abaixo, para governar um país complexo como o Brasil. Loucura, né? Mas é o que eles desejam.

Mais um excelente vídeo do Exilado:

Reinaldo Azevedo sobre a eleição sem a Direita presente

No Blog do Reinaldo Azevedo:

Uma eleição sem direita na disputa é normal? Não é.

Se, na economia (ver post acima), não há mais chance para os porras-loucas, e isso é um avanço inequívoco, é evidente que há coisas fora do lugar na política, o que não é bom, caracterizando um atraso. Repararam? No debate da Band, uma candidata era do PT, e dois outros tinham sido petistas — fundadores do partido, diga-se, o que Dilma, uma recém-convertida, não foi. Vale dizer: eram três candidatos de esquerda.

E Serra? Sua origem também é a esquerda, como todo mundo sabe. E não creio haver razões, ainda hoje, para se dizer que esteja à direita de Dilma ou de Marina. Numa leitura convencional, diria até que, em certos temas, elas é que estão à sua direita.

Isso quer dizer que os três principais candidatos à Presidência — Plínio é tão “principal” quanto a penca de nanicos, mas estava lá… — são, com matizes diversos, de esquerda. Podem-se distinguir, e se distinguem, na competência, na experiência, no alcance da visão que têm sobre o Brasil etc, mas a matriz ancestral é a mesma.

Cadê o candidato “conservador” ou, se quiserem, “de direita”? Não existe! E isso, obviamente, é uma anomalia. Li outro dia o texto de um bobalhão afirmando que a direita não consegue se estruturar no Brasil porque as desigualdades, as carências, a distribuição de renda etc, tornam um discurso conservador difícil. Trata-se, claro, de uma bobagem. As democracias de todo o mundo, as ricas e as pobres, têm candidatos conservadores viáveis.

Não! Isso não é bom para o país. As idéias começam a ficar fora do lugar. Na semana passada, a VEJA publicou uma entrevista notável com Aldo Rebelo, o deputado do PC do B que foi relator do Código Florestal. Sua fala, tão sensata!, não seria considerada “de esquerda” em lugar nenhum do mundo. Até aí, tudo bem! Saudemos a racionalidade de alguém que se diz comunista. A questão é saber por que as coisas corretas e prudentes que diz sobre a terra, o agronegócio e o latifúndio não são um dos eixos estruturantes de um partido — que seria considerado, sim, “conservador”. Vejam o medo que os partidos têm de defender o relatório de Aldo sobre o código.

Querem outro exemplo? A Constituição brasileira vem sendo continuamente aviltada por cotas racialistas. Elas se tornaram um “valor”, e poucos são aqueles que se aventuram a enfrentar o falso consenso, a suposição de que é essa “a vontade da sociedade”. Não é! Trata-se da vontade de grupos militantes. Como o debate não é feito — a não ser por iniciativa de um ou outro líder político, mas não de um partido ou de partidos —, o suposto “progressismo” avança sem resistência, como se fosse mesmo uma vontade coletiva.

Alguém poderia dizer: “Como pode haver uma direita no Brasil, Reinaldo, se, no Maranhão, o PT se aliou a Sarney?” Bem, resta-me responder que eu torço pelo surgimento de um partido conservador, de direita, no Brasil. E isso exclui Sarney, é claro. O Brasil precisa de conservadores. Quem precisa do atraso é o PT.

Missão humanitária é dizimada no Afeganistão. Seu crime: pregar o Cristianismo

Lembram das Cruzadas? Devem ter estudado isso na escola ou já ter visto algo em filmes. Talvez tenha chegado o momento de ressucitá-las, para o bem da espécie humana e da civilização.

Não faço questão de parecer politicamente correto, e por isso mesmo afirmo: o Islamismo é uma catástrofe, que nada tem de divino ou celestial. Não é à toa que não existe uma única nação em todo o planeta que tenha se tornado desenvolvida sob o julgo do Alcorão. Caso suma do mapa, não me fará falta, muito pelo contrario. Não comungo do mesmo Deus deles, felizmente.

Na Folha:

Estrangeiros mortos no Afeganistão são dos EUA, Reino Unido e Alemanha, diz ONG

A ONG cristã International Assistance Mission (IAM) afirmou neste sábado que os membros estrangeiros de sua equipe médica assassinados no norte do Afeganistão seriam seis americanos, uma britânica e uma alemã.

O diretor da ONG, Dirk Frans, ressaltou que não será possível identificar oficialmente as vítimas até a realização de uma necropsia completa.

Dez membros de uma das equipes médicas da ONG, incluindo dois afegãos, foram assassinados a tiros por militantes quando voltavam de uma missão de tratamento oftalmológico e de saúde em vilas remotas do norte do Afeganistão.

Frans afirmou em comunicado que a equipe esteve no Nuristão, Província ao sul de Badakhshan, a convite das comunidades locais, para uma missão de duas semanas. Eles dirigiram até a Província, deixaram o veículo na estrada e andaram por horas pelas montanhas até chegar ao vale Parun.

A equipe, formada de médicos, enfermeiras e pessoal de logística foi atacada no caminho de volta a Cabul. Eles decidiram viajar por Badakhshan por achar mais seguro, disse Frans.

Entre os mortos está o líder da equipe Tom Little, optometrista de Delmar, New York, que trabalha no Afeganistão há mais de 30 anos. Little foi expulso pelo governo taleban em agosto de 2001 por supostamente tentar converter afegãos ao cristianismo. Ele voltou ao país depois da queda do regime taleban, em novembro do mesmo ano.

Frans disse ter perdido contato com Little na quarta-feira. Na sexta-feira, um terceiro membro afegão da equipe, que sobreviveu ao ataque, ligou para reportar as mortes. Há ainda um quarto afegão que sobreviveu porque escolheu uma rota diferente por morar em Jalalabad.

Segundo Frans, dois membros trabalhavam para a IAM, dois eram ex-membros e quatro eram afiliados com outras organizações. Ele disse ainda que cinco dos americanos eram homens e uma era mulher.

Outra ONG, Bridge Afghanistan, disse em seu site que o grupo inclui um de seus membros, médica Karen Woo, de Londres.

A polícia encontrou os corpos na noite desta sexta-feira, no distrito remoto de Kuran Wa Munjan, na Província de Badakhshan. Junto aos corpos, as autoridades encontraram três veículos crivados de tiros.

O general Agha Noor Kemtuz, chefe de polícia em Badakhshan, disse que as vítimas foram alertadas pelos moradores de que a área era perigosa, mas disseram que eram médicos e não temiam. Ele afirmou ainda que os relatos iniciais são de que um grupo de dez homens armados os roubaram e mataram.

Os dois afegãos, afirmou, eram intérpretes das Províncias de Bamiyan e Panjshir. O terceiro afegão, que sobreviveu ao ataque, disse que passou todo o tempo recitando o Corão, o livro sagrado do islamismo, e afirmando: "Sou muçulmano, não me matem".

O movimento islâmico radical Taleban reivindicou o ataque em seu site e disse ter matado nove estrangeiros e um tradutor afegão que não pararam seus veículos quando os talebans pediram.

"Os nove tinham documentos de inteligência que mostram que eram espiões", assegurou o movimento taleban, que os acusou ainda de pregar o cristianismo na região.

A ONG, que disse conceder ajuda humanitária no Afeganistão desde 1966, lamentou ainda a tragédia "que tem um impacto negativo em nossa capacidade para seguir servindo ao povo afegão".

A embaixada americana em Cabul divulgou um comunicado de imprensa na qual disse ter motivos para crer que vários cidadãos americanos estão entre os falecidos.

"Não podemos confirmar detalhes neste momento, mas estamos trabalhando ativamente com as autoridades locais para saber mais sobre as identidades e as nacionalidades destes indivíduos", informou a diplomacia americana, sem dar mais detalhes.

Uribe: honrado até o último dia de mandato

Que eu, e muito menos a população colombiana que o elegeu, não se decepcionem com o novo presidente. Eleito sob as bençãos de Uribe, resta a Santos manter o confronto firme e impiedoso aos narco-comuno-terroristas das FARC e a todos aqueles que o apóiam.

Uribe, parabéns pelo trabalho. Fará muita falta numa região de governantes carentes de honra e vergonha na cara. Agradeço como cidadão sulamericano.

Na Folha:

No último dia de mandato, Uribe processa Chávez em tribunal internacional

O presidente colombiano, Alvaro Uribe, decidiu jogar uma última carta contra o colega venezuelano, Hugo Chávez, antes de deixar o poder neste sábado. Seu advogado, Jaime Granados, denunciou nesta sexta-feira Chávez por abrigar membros das Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia), perante o Tribunal Penal Internacional e a Comissão Interamericana de Direitos Humanos, que é ligada à OEA (Organização dos Estados Americanos).

Em declarações à emissora televisiva RCN, Granados explicou que a denúncia por violação dos direitos humanos é feita contra Chávez, como pessoa, e contra a Venezuela, como Estado.

O advogado disse que essas violações têm a ver com a suposta presença de guerrilheiros das Farc e do Exército de Libertação Nacional (ELN) em território venezuelano. Os guerrilheiros, segundo a denúncia, prepararam ações terroristas contra a Colômbia em solo venezuelano.

Estas denúncias já haviam sido levadas à OEA, no último dia 22, quando a Colômbia acusou Chávez de abrigar ao menos 1.500 guerrilheiros que andariam livremente pelo país. No mesmo dia, Chávez rompeu os laços diplomáticos com Bogotá e ampliou a segurança na fronteira.

Desde então, os países vizinhos, incluindo o Brasil, têm mediado a crise para evitar uma escalada. O próprio presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi ontem a Caracas e conversou pessoalmente com Chávez. Ele está hoje em Bogotá para a posse do novo presidente colombiano, Juan Manuel Santos, com quem espera negociar uma retomada das relações.

Santos, apesar de ser o sucessor partidário de Uribe, defende desde a campanha uma reaproximação com Caracas e deu sinais de que estaria disposto a resolver a crise diplomaticamente. O Brasil espera sua posse para avançar na mediação.

Apesar da ruptura, o chanceler venezuelano, Nicolás Maduro, deve assistir à posse de Santos. Esta presença representava um passo para encerrar a crise entre os países vizinhos, mas o processo e a denúncia apresentados nesta sexta pelo advogado de Uribe podem afetar o processo.

Em suas chegadas a Bogotá, a maioria dos presidentes latino-americanos convidados à cerimônia de posse de Santos fez votos e ofereceu seus ofícios para resolver a crise, que afeta toda a região.

Fiquei comovido: como eles são bonzinhos

Extremo do cinismo: Chavez e Correa, os mesmos que oferecem abrigo seguro aos terroristas que violentam e assassinam cidadãos colombianos, participam (nem deveriam ter sido convidados!) da posse do novo presidente colombiano Juan Manuel Santos, e chegam cheios de mimos e "mensagens de amor". Deveriam ter sido enjaulados na mesma hora que pisaram na Colômbia, como criminosos que são!

Nem preciso comentar que eles contam com o apoio da crápula-mor do continente, o brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva, que com a graças de Deus, vem chegando ao fim de seu mandato.


No Folha:

Chanceler da Venezuela chega à Colômbia e diz ter "mensagem de amor e futuro"
O chanceler da Venezuela, Nicolás Maduro, chegou neste sábado a Bogotá, na Colômbia, para assistir a posse do presidente Juan Manuel Santos.

Ele disse trazer uma "mensagem de amor e de futuro" do presidente venezuelano Hugo Chávez, o que indica que mantém a intenção de avançar nas negociações com o novo presidente para resolver a crise diplomática com os dois países.

Nesta sexta-feira, o advogado do atual presidente colombiano, Alvaro Uribe, denunciou Chávez por abrigar membros das Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia) perante o Tribunal Penal Internacional e a Comissão Interamericana de Direitos Humanos, que é ligada à OEA (Organização dos Estados Americanos).

A Venezuela ainda não respondeu ao novo gesto, mas foi a mesma denúncia, apresentada no último dia 22 de julho à OEA, que levou Chávez a romper relações diplomáticas com Bogotá e lançou os países da região em um esforço de mediação, para evitar uma escalada militar da tensão.

O novo gesto, último de Uribe no poder, lançou dúvidas sobre as negociações para resolver a crise entre Caracas e Bogotá e se a Venezuela poderia retroceder diante do novo ataque. Maduro não falou sobre Uribe ou seus processos.

Ele chegou ao país vizinho dizendo que tem a "melhor disposição" de avançar com o novo governo colombiano. "Viemos com a melhor disposição de avanços, de trabalho, olhando para o futuro".

"Queremos entregar, assim me pediu de maneira expressa o comandante Hugo Chávez, uma mensagem de amor e de solidariedade a todo o povo da Colômbia, uma mensagem de futuro e de esperança", disse Maduro, que não ia à Colômbia há mais de um ano.

Ontem, Lula foi a Caracas para uma reunião trimestral com Chávez e deixou o venezuelano "otimista" quanto ao futuro das relações com Bogotá e dizendo que o colega partiria para a Colômbia com uma missão. A primeira parte desta missão, disse o assessor internacional de Lula, Marco Aurélio Garcia, é atenuar a tensão e gerar confiança.

O presidente brasileiro chegou ontem mesmo à Colômbia com o argentino Nestor Kirchner, secretário-geral da Unasul (União das Nações Sul-Americanas), para a posse do novo presidente colombiano, Juan Manuel Santos, às 15h (17h em Brasília).

A mudança de Uribe para Santos, que fala em uma reaproximação com Caracas, alimentou a expectativa de que a crise pode ser resolvida. Do lado venezuelano, a ida de Maduro para assistir à posse também foi vista como um passo para encerrar a crise.

EQUADOR

Santos enfrenta ainda uma outra briga diplomática herdada de Uribe --o rompimento das relações com o Equador.

O presidente do Equador, Rafael Correa, chega à Colômbia para posse de Juan Manuel Santos
O presidente do Equador, Rafael Correa, chega à Colômbia para posse de Juan Manuel Santos

O governo de Rafael Correa rompeu as relações diplomáticas em março de 2008, após um bombardeio colombiano a um acampamento das Farc em território equatoriano, no qual morreram 26 pessoas, entre elas o líder guerrilheiro Raúl Reyes, quatro mexicanos e um cidadão do Equador.

Correa também chegou neste sábado a Bogotá para o evento de posse de Santos, sua primeira visita ao país desde o rompimento, e ofereceu seu "total apoio" ao novo governo colombiano.

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Debate chocho na Band

Achei decepcionante o debate de ontem na Band. Quatro candidatos, cada um tentando parecer mais esquerdista que os outros. Era o que podíamos esperar, convenhamos. Não temos no país um único político competitivo que represente outro espectro político.

Plínio de Arruda Sampaio, apesar das idéias pré-históricas de seu partido, o PSOL, e de sua idade avançada, foi o único que procurou dar alguma emoção ao confronto, provocando seus oponentes. No governo, instalaria na prática a barbárie no Brasil.

José Serra, que teve em minha opinião o melhor desempenho de todos, falou com tranquilidade, mas evitou temas polêmicos que poderiam desconcertar ainda mais sua principal adversária. Poderia ter comentado assuntos como FARC, aborto, violação de sigilos, política externa, etc. Não o fez, talvez orientado por marqueteiros, e deixou bastante a desejar.

Dilma Roussef, nervosíssima, olhando para as câmeras erradas, mal conseguia elaborar frases completas. Nas poucas vezes que foi confrontada com a pífia realidade do governo do qual fez parte, não soube fazer sua defesa, pricipalmente em temas dos quais ela deveria ser expert, como estradas, portos e aeroportos. Foi um desastre, conforme o previsto.

Marina Silva nada acrescentou. Ficou naquela lenga-lenga de sua origem pobre, que não interessa a ninguém, e não foi capaz de comentar uma única ação efetiva sua, seja como senadora ou como ministra.

Continuando nessa toada, não espero muita coisa boa para o Brasil no futuro. Quando os quatro candidatos mais bem posicionados nas pesquisas se dizem de esquerda, é sinal que algo de muito errado está acontecendo. Nos resta agora escolher o menos pior.

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Peña Esclusa: "Minha luta apenas começou"

Creio que todos democratas sulamericanos possuem a obrigação moral de publicar o que escreve o oposicionista venezuelano Peña Esclusa, encarcerado pela ditadura chavista em uma farsa grotesca. É neste sentido que ofereço o humilde espaço do meu blog para divulgar suas cartas "desde el cárcere":

No Mídia Sem Máscara:

Minha luta apenas começou

Queridos compatriotas venezuelanos:

Antes de tudo, queria informar a meus colaboradores e amigos, assim como ao público em geral, que me encontro perfeitamente bem, tanto de saúde como de ânimo e de espírito. Agradeço enormemente aos que manifestaram sua preocupação por meu encarceramento.

No aspecto pessoal, o cárcere tem servido para incrementar meu amor pela pátria e para reafirmar minhas convicções e, além disso, tem servido para comprovar que o senhor Chávez sente um profundo medo por minha determinação, ao ponto de que se viu obrigado a me encarcerar, acreditando que com isso me deteria. Porém, se equivoca.

A prisão não me detém, senão que - pelo contrário - me infunde novos ânimos para seguir adiante. Prova disso é que durante estas três semanas de encerro consegui terminar um livro intitulado "O Plano B: o que fazer se nos roubam as eleições do 26 de setembro?".

O livro estabelece que a oposição arrasará nas próximas eleições parlamentares, obtendo não menos de duas terceiras partes dos assentos; entretanto, o regime recorrerá à fraude para reconhecer uns quantos deputados. Lamentavelmente, alguns dirigentes opositores aceitarão os falsos resultados, como fizeram em ocasiões anteriores.

Os venezuelanos - que clamam todos por uma mudança - ficarão afundados na desilusão. O que fazer frente a este cenário?

O livro propõe a criação de um novo movimento - especificamente uma coalizão - para conseguir uma mudança para a Venezuela no curto prazo, mediante mecanismos pacíficos, democráticos e constitucionais, mas não eleitorais.

Em seguida, explica como levar a cabo a transição consensuada, sem romper em nenhum momento o fio constitucional. Depois estabelece algumas idéias para um novo governo de dez pontos, para restaurar a democracia, reativar a economia e pacificar o país.

O livro responde aos principais questionamentos que hoje inquietam os venezuelanos, porém, sobretudo, assinala um caminho para resolver os problemas nacionais, alcançar o desenvolvimento e garantir um futuro promissor para nossos filhos.

"O Plano B" estará disponível tanto em sua versão impressa como na digital, muito antes de 26 de setembro, para que os venezuelanos possam contar com uma alternativa factível e exitosa, em caso de materializar-se a fraude. De fato, extratos do livro começarão a circular nesta semana mesma.

Este é apenas um dos muitos projetos que levarei a cabo desde meu "irmão cárcere". Se Chávez sentia angústia pelo trabalho que eu vinha realizando quando me encontrava em liberdade, que se prepare, porque minha luta apenas começou.

Queridos compatriotas venezuelanos: Não tenham medo! Ânimo, tenham esperança!

Quem é de fato Alejandro Peña Esclusa?

Conheça sua história pessoal, sua formação, suas advertências e denúncias, o trabalho que realizou no Continente, seus estabelecimentos e propostas, assim como suas publicações, todas razões pelas quais tem sido perseguido vil, ilegal e injustamente. Continue lendo aqui.

Tradução: Graça Salgueiro